praxes académicas

Catarina Carvalho

Estranho votar em Bolsonaro? E os vossos filhos aceitam as praxes?

As cidades universitárias portuguesas enchem-se por estes dias de tontos e aves sorumbáticas. De gente com olhar vítreo, talvez do álcool e do mais que lhes entaramela os sentidos, e de gente com olhar submisso e contente. São estudantes, dizem uns e outros. Hão de ser. Por enquanto são outra coisa qualquer, numa autoinfligida hierarquia de caloiros e veteranos, em que cada um sabe muito bem o seu lugar - como, aliás, conta bem a reportagem que publicamos hoje.