Pedro Cruz

Pedro Cruz

E quando cair a máscara...

Nos últimos dois anos, a máscara não nos tapou apenas a boca e o nariz. De alguma forma, serviu como um escudo protetor da infeção, mas, também, como símbolo de outros escudos e defesas que criamos. Foi como se, além da boca e do nariz, tivéssemos estendido a máscara aos olhos e, até, ao pensamento. Uma espécie de filtro, que nos "protegia" de tudo à volta. Durante dois anos, comportámo-nos como as sociedades de um país em guerra - vivemos o dia-a-dia, com adaptações constantes a regras, novidades, mutações, restrições e confinamentos. A pandemia foi o tema, sempre o tema, com toda uma sociedade a girar em torno dela. Nada do que fizemos, dissemos ou até pensámos, não foi condicionado pela covid-19.