Marchas Populares

Marcha dos Mercados

Pregão desaparecido renasce com madrinha que é de todos

Quando, há seis anos, Humberto Jorge entrou pela primeira vez na Marcha dos Mercados a convite de duas primas, nunca desfilara por qualquer bairro lisboeta. Tinha 43 anos. Ontem, foi com simplicidade e um sorriso nos lábios que admitiu que já não consegue parar. "Tenho aqui uma família muito grande. Amigos que nunca teria conhecido", atirou, quase que a convidar à festa que logo se formou, em sua homenagem, no campo de jogos situado no topo do Mercado 31 de Janeiro, nas Picoas.

Santa Engrácia

Bairrismo e entrega para sair de cabeça erguida

Foi o bichinho por esta tradição bairrista que levou Carlos Perdiz Lourenço, atual responsável pelas marchas e presidente do Operário Futebol Clube de Lisboa, a aceitar este desafio. "Este ano o tema é Santa Engrácia mascarada de sedução. É algo que tem que ver com uma determinada época, com uma grande história na freguesia", explica o responsável sobre a escolha deste tema. Acrescenta ainda que é a oitava vez que a Marcha de Santa Engrácia se apresenta no atual Meo Arena (antigo Pavilhão Atlântico) e vai contar com as cores vermelho, preto, prateado e ouro. Tem uma grande admiração pelos marchantes que "se entregam e têm uma grande paixão. Não estamos obcecados com a classificação. Independentemente do resultado, para o ano estamos de volta".