Marchas de Lisboa

MARCHA INFANTIL

Homenagear a água a torcer por vários bairros da cidade

"Santo António, Alfama é padroeiro." É com a traquinice própria da tenra idade que um dos marchantes do conjunto d"A Voz do Operário, no bairro de São Vicente, foge à norma imposta pela realidade e pelo ensaiador de que a intenção é relembrar o santo casamenteiro de que o padroeiro de Lisboa é São Vicente. A "rebeldia", mostrada durante um ensaio da marcha infantil, não tem o apoio de outras crianças, mas é sintomática da origem diversificada do grupo que, desde há 26 anos, atrai os lisboetas mais pequenos à típica tradição alfacinha.

Marcha do Lumiar

Misto de alegria e nervos após dois anos de pausa

Com sete pinceladas de cor assim se "pinta" o ginásio da Escola Secundária do Lumiar, todas as noites, após dois anos de "descanso" nas festividades de Lisboa. Os "pintores" são os 50 marchantes da Marcha do Lumiar inspirados no tema "Lisboa e as setes colinas emolduradas p"lo arco-íris", da autoria de António Escolástico, uma figura conceituada no mundo artístico das Marchas Populares de Lisboa que, este ano, decidiu "ressuscitar" esta marcha, depois da desclassificação em 2010.