Espelho Meu

Espelho Meu

Marlon: “Sou demasiado sentimental. Às vezes”

Por Filipa Neto Vejo bem – Sou uma pessoa otimista e não vejo as coisas de uma forma negativa, exceto à segunda-feira. Consigo colocar de lado quem não me interessa, quem não me faz bem. Sou bonzinho. Dou sem pensar em receber. Gosto de ajudar os meus. Tenho um bom sentido para analisar as pessoas. Os meus atos são sempre baseados nos sentimentos. Vejo mal – Sou um pouco egoísta. Sou despistado. Sou desorganizado. Não faço muitos planos. Sou demasiado sentimental. Às vezes. Deveria ser mais frio em determinadas situações. Artista 42 anos

Espelho Meu

Joana Marques: “Gosto do que faço e tento fazer melhor, embora quase sempre falhe”

Por Sara Dias Oliveira Vejo bem: Sou boa ouvinte, no sentido em que consigo estar a conversar com alguém e a ouvir a conversa da mesa do lado ao mesmo tempo. Sou observadora e gosto de recolher informação aparentemente inútil. Nunca se sabe quando dará jeito. Gosto muito de trabalhar. Gosto do que faço e tento fazer sempre melhor, embora quase sempre falhe. Não me levo muito a sério, o que é útil quando passamos a vida a fazer pouco dos outros. Sou honesta. Do género de devolver uma carteira que encontre no chão. Não é propriamente uma qualidade, é […]

Espelho Meu

Mariana Mortágua: “Acho sempre que posso fazer mais”

Vejo bem… Tudo o que quero evitar. Odeio aranhas e encontro sempre a aranha que mais ninguém viu no canto da sala. Os anos a passar e não adoro. As imperfeições do que faço. A educação que me deram e que procuro honrar. Que não tenho um enorme talento para estes exercícios (mas esforço-me). Vejo mal… Ao longe, mas só porque acho a relativização um exercício difícil (de resto, os meus olhos estão ótimos). O número de coisas que posso fazer ao mesmo tempo, acho sempre que posso fazer mais. Quando há demasiada poluição à volta, sobretudo sonora. Os atrasos […]

Espelho Meu

Miguel Araújo: “Aquela melancolia agridoce perante a impermanência da vida”

Vejo bem… Há uma expressão japonesa “mono no aware” que significa uma consciência perante a impermanência da vida, uma certa melancolia algo agridoce perante a evidência de que essa impermanência é a realidade da vida. Essa é a minha maneira de olhar para tudo. O que traz algumas virtudes como a preguiça, a indolência, a passividade. São essas as minhas virtudes. Vejo mal… Dito isto, deriva deste meu estado permanente perante a impermanência de tudo um desfiar de defeitos também, dos quais sou obrigado a destacar a preguiça, a indolência e a passividade. Cantautor 40 anos

Espelho Meu

Paulo Gonzo: “Vejo mal a falta de apoio com que as artes são tratadas em Portugal”

Por Jorge Pedroso Faria Vejo bem… Continuar a gostar de mim como pessoa. Haver mais qualidade e esperança de vida. Continuar a contribuir com a minha música para dar alguns momentos de felicidade às pessoas. E que essa felicidade de quem me ouve aconteça por muitos anos. Vejo mal… A falta de entreajuda. Algum egoísmo social. Que de vez em quando não se pare para pensar. A omissão propositada. O abandono e o desleixo. A injustiça e a falta de apoio com que as artes e a cultura são tratadas em Portugal. Músico 62 anos

Espelho Meu

Leonel Vieira: “Não consigo suportar a falta de inteligência, aliada à falta de humildade”

Por Jorge Pedroso Faria Vejo bem… Estar sentado à mesa com amigos, num bom jantar e uma boa conversa, acompanhado de um bom vinho tinto (português, de preferência) é perfeito. Sou uma pessoa frontal e admiro a frontalidade. É uma característica que não me choca nos outros, pelo contrário. Tento alimentá-la ao máximo, porque é algo que aprecio muito nas pessoas. Sou leal à amizade. Fortaleço as amizades que tenho, para que elas durem muitos anos. Sou pessoa de poucos grandes amigos, mas sou-lhes muito fiel. Acredito muito na lealdade entre dois verdadeiros amigos. Sou um sonhador e acredito que […]

Notícias Magazine

Vanessa Oliveira: "Acredito genuinamente nas pessoas. Gostava que fosse uma qualidade, mas não é"

Por Jorge Pedroso Faria Vejo bem… … ainda! (risos) Sei que a determinada altura das nossas vidas os olhos deixam de estar à altura, mas ainda não é o dia. Adoro ser feliz e fazer por isso. É bom lutar pelo que queremos. Gosto de trabalhar. Verdadeiramente. Sinto-me realizada. O meu novo programa “Portugal no Mundo”, na RTP, é exemplo disso mesmo. Faço o que gosto e ainda consigo conhecer tantas pessoas incríveis, lugares, costumes e culturas tão diferentes e tão nossos. Sinto-me mesmo realizada. Gargalhadas. Sorrisos. Abraços. Sinceridade. Generosidade. Fazer o bem sem olhar a quem. Vejo mal… … […]

Notícias Magazine

António Manuel Ribeiro: "Sou mandão. As coisas têm de estar à minha maneira"

Por Ana Tulha Vejo bem… Sou uma pessoa muito organizada. Até porque sou sócio-gerente da empresa que gere a vida dos UHF e tudo passa por mim. Tenho de ser organizado e disciplinado. Sou muito calmo perante a tragédia. Há uns tempos dei com um acidente na autoestrada, parei o carro, liguei para o 112 e fui eu que fiquei a tratar das pessoas. Não consigo ver uma seringa a entrar na minha veia, mas se vir alguém a sangrar, sou o primeiro a ajudar. Sou convicto. Estudo bem o assunto e, quando avanço, avanço com muita calma, para ser […]

Notícias Magazine

Armindo Araújo: "Não gosto dos meios-termos. Ou é ou não é"

Texto de Sara Dias Oliveira Vejo bem… 1. Sou perfecionista, de uma forma geral. Gosto das coisas bem feitas. Se não for para fazer como deve ser, então não vale a pena. 2. Gosto das coisas arrumadas. Não gosto dos meios-termos. Ou é ou não é. 3. Leal aos meus princípios, tanto a nível pessoal como profissional. Quem me é leal pode contar sempre comigo. Trato bem quem me trata bem. Sou amigo do amigo. 4. Prezo muito a boa educação. 5. Tento cumprir os meus objetivos, terminá-los com sucesso. Tenho um espírito de luta. Quando quero muito uma coisa, […]

Notícias Magazine

Pedro Tochas: "Não tenho medo de experimentar, de viver ambientes, ir em frente"

Por Sara Dias Oliveira Vejo bem… 1. Há coisas que são virtudes e que, ao mesmo tempo, são defeitos. Sou um bocado obsessivo em relação às coisas, o que me leva a trabalhar mais afincadamente, o que pode ser um defeito ou uma virtude. 2. Mantenho o sentido de deslumbre que se perde com a idade e que torna as pessoas cínicas. Deslumbre de viver aventuras, ver coisas. Não tenho medo de experimentar, de viver ambientes, ir em frente. 3. Esforço-me e faço questão de passar tempo com as pessoas de quem gosto. O mais importante, na vida, são as […]

Notícias Magazine

Cristina Branco: "Detesto palmadinhas nas costas e dou-me facilmente a quem me fala das minhas limitações"

Por Jorge Pedroso Faria Vejo bem… 1. Disciplinada e muito rigorosa. Consigo isso com doses massivas de paciência que aprendi na infância a ouvir o “saber esperar é uma virtude”, e nesta premissa instituí a perseverança como lei. 2. Corajosa. Sou a primeira a recompor-me, a pegar na vida e a recomeçar se for preciso. 3. Sou suficientemente humilde para reconhecer o erro. Detesto palmadinhas nas costas e dou-me mais facilmente a quem me fala das minhas limitações. 4. Atenciosa. Prezo muito reconhecer o valor dos outros. 5. Observadora. É importante deixar-me ficar silenciosa e quieta, a olhar, a perceber […]