Vestidas para recomeçar. Há uma associação que ajuda mulheres a prosperar no trabalho e na vida

Há uma associação em Lisboa que se dedica a ajudar mulheres "a prosperar no trabalho e na vida pessoal". É um trabalho feito por voluntárias, que começa na recuperação da autoestima e termina no guarda-roupa.

Chama-se Dress for Sucess e nasceu nos Estados Unidos da América (EUA) há cerca de 22 anos, mas a Portugal chegou apenas em 2012. A missão é apoiar mulheres a prosperar no trabalho e na vida pessoal, dando-lhes ferramentas necessárias para o desenvolvimento das suas carreiras, promovendo a independência económica e financeira.

E esta é, atualmente, a única associação em Portugal que trabalha a valorização da imagem como fator de inserção na sociedade e no mercado de trabalho. "Porque sabemos que a primeira impressão conta", afirma Filipa Gonçalves, vice-presidente da Dress.

As mulheres que chegam à associação são maioritariamente vulneráveis: desempregadas de longa duração, com poucos recursos económicos, e que por isso "não tinham condições para comprar a roupa adequada para uma entrevista de emprego". Num mundo em que "dizemos um bom dia ou boa tarde e quem está do outro lado do balcão já conseguiu ficar com uma impressão só através da nossa imagem", esse é um instante decisivo.

Sediada perto perto do miradouro de S. Pedro de Alcântara, a Dress for Sucess conta também com uma boutique, onde o que acontece não é apenas vestir: "é reforçar também a autoestima e confiança das mulheres". Isso que dizer que as voluntárias desta associação trabalham com as mulheres "de dentro para fora". Afinal, para muitas, a vulnerabilidade é também emocional. Ali chegam mulheres que já foram vítimas de violência doméstica, ex-reclusas, na sua maioria mulheres com um passado pesado, que no meio de tanta tormenta "esqueceram-se delas, enquanto mulheres", conta Filipa, que encabeça um corpo de consultoras voluntárias que ajudam a resgatar toda a autoestima perdida.

Ali, há um voluntariado muito particular, em que o processo de seleção é rigoroso. Cada uma das consultoras não pode apenas ter a capacidade técnica, como explica Filipa Gonçalves. "Têm que ser mulheres bem resolvidas, capazes de se habituarem a ambientes multidisciplinares, com grande capacidade e empatia, pois muitas vezes vão fazer também o papel de psicóloga. Porque as mulheres acabam sempre por contar um bocadinho da sua história".

As mulheres à procura de uma mudança chegam através de parceiros diversos, desde associações a juntas de freguesia, passando pelo media, ou redes sociais. "Ou ainda aquilo que consideramos a nossa melhor referência: alguém que já passou pela dress e conhece outra mulher que precisa de nós, e nos recomenda". Filipa Gonçalves sublinha o sentido de missão cumprida quando isso acontece, quando se percebe como é que foi possível mudar a vida de cada mulher.

Lab Emprego disponível online

A boutique só está disponível em Lisboa, mas o projeto Centro de Carreira está já online e é possível aceder a partir de qualquer ponto do país. Quando fala dessa componente da associação, a vice-presidente usa uma frase de que nãos e cansa: "somos muito mais do que um guarda-roupa". Porque a ideia é preparar as mulheres de forma a que se sintam "fortes, seguras e confiantes", mas ressalva a importância de assegurar o desenvolvimento das competências. E é aí que o Centro de Carreira aparece, para "dar todo o apoio na integração para o mercado de trabalho". Para isso contribuem as voluntárias na área da psicologia, recursos humanos, gestão e marketing, com forte experiência a área do recrutamento, e que dão à Dress todo o auxílio, seja na elaboração de um currículo ou preparação para as entrevistas de emprego. E foi assim que nasceu a ideia do Lab Emprego, a mais recente aposta da associação, com o propósito de "combater eficazmente o desemprego feminino em Portugal". Confrontada com os números - que demonstram que mais de 56% dos desempregados inscritos no IEFP são mulheres - a Associação lançou este projeto com o apoio do PACT Fund da Deloitte. De resto, só a existência de parcerias e mecenas permite a sobrevivência da Dress.

O que acontece no Lab Emprego é proporcionar a cada beneficiária um circuito personalizado, que integra quatro áreas distintas. A primeira é a análise de perfil, focada na elaboração do currículo, na construção da página de LinkedIn e em simulações de entrevistas de emprego. Segue-se a análise e desenvolvimento de competências, "necessária para a construção da jornada da beneficiária dentro do Lab Emprego, que dá acesso a formações e webinars desenvolvidos pela Dress". E essa surge na sequência de uma outra iniciativa, Call to Success, lançada aquando do primeiro confinamento, "e com resultados expressivos, que funcionou como projeto piloto para este circuito", acrescenta Filipa Gonçalves. A implementação de um programa de mentoria, direcionado para pessoas que se encontrem em fase de reorientação profissional, constituído por seis sessões de acompanhamento personalizado, é outro dos níveis. Por último, é preciso encontrar correspondência entre candidata e vaga, devido às parcerias celebradas entre a Dress e várias empresas de diferentes sectores

"Estas traduzem-se num acesso privilegiado, por parte da Associação, às oportunidades disponíveis. Através da sua base de dados, a Dress for® Success Lisboa fará o match perfeito entre o perfil requerido pela empresa e a candidata adequada". De acordo com os objetivos traçados pela associação, a grande aposta até 2022 é estabelecer parcerias com empresas em diversas áreas "para garantir o maior número possível de oportunidades e ter um papel cada vez mais ativo no combate ao desemprego".

No site da associação é possível aceder a todas as informações sobre o voluntariado e também doações, tão importantes para empoderar mulheres muitas vezes desencantadas com a vida. E que, com uma pequena ajuda, podem recomeçar.

dnot@dn.pt

Mais Notícias

Outras Notícias GMG