Tentilhões de Darwin enfrentam risco de extinção

A sobrevivência dos pássaros que ajudaram Darwin a elaborar a Teoria da Evolução está ameaçada por uma espécie invasora

Os tentilhões das Galápagos, exemplo clássico de evolução e adaptação, enfrentam agora risco de extinção. Segundo um estudo publicado esta sexta-feira, uma mosca ameaça a sobrevivência dos tentilhões, ao atacar os pássaros mais novos.

A ameaça já era conhecida, mas os autores do estudo desenvolveram um modelo matemático que diz que os tentilhões (Geospiza fortis) das Ilhas Galápagos podem desaparecer em 50 anos, no pior cenário. A boa notícia é que uma intervenção humana pode ajudar a evitar esse risco, acrescentam.

Estes pássaros ajudaram Charles Darwin a elaborar a Teoria da Evolução, mas os cientistas temem que não tenham tempo de se adaptar para ultrapassar a ameaça da mosca Philornis downsi. Usando dados de campo dos últimos cinco anos, os investigadores elaboraram um modelo e calculam que, no pior cenário, estes tentilhões estejam extintos até 2065. Mesmo no cenário médio a extinção chega antes do final do século.

Há 14 espécies de tentilhões nas ilhas, mas este estudo focou-se na mais comum. Os investigadores descobriram que a ameaça da Philornis downsi, uma espécie de moscas invasiva que chegou às ilhas nos anos 60 do século passado, é bem real. As moscas deixam larvas nos ninhos que atacam os pássaros logo que estes nascem, causando lesões que provocam a morte.

Jennifer Koop, da University of Massachusetts Dartmouth, defende, no entanto, que uma intervenção humana para reduzir o número de ninhos infestados em 40% pode salvar a espécie. Uma das formas de consegui-lo é a introdução de vespas, outra a utilização de pesticidas.

Foi a observação das diferenças entre os pássaros nas diferentes ilhas das Galápagos, nomeadamente dos bicos, que variam de acordo com as diferenças de alimentação e habitat, que levou Darwin a concluir que os pássaros começaram como uma espécie e evoluíram para diferentes espécies. Os pássaros ficaram conhecidos com os tentilhões de Darwin.

Mais Notícias