Novos radares de velocidade vão mudar de lugar a cada seis meses

Os condutores nunca saberão quais as cabines que têm os radares ativos, numa lógica rotativa nunca utilizada em Portugal

Os 30 novos radares de controlo da velocidade não serão fixos, mas mudarão de lugar a cada seis meses. A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), a gestora do sistema, poderá pedir ao consórcio que vai manter o SINCRO (Sistema Nacional de Controlo de Velocidade) que mude 15 dos radares de sítio.

Os condutores nunca saberão quais as cabines que têm os radares ativos, numa lógica rotativa nunca utilizada em Portugal, segundo conta o jornal Público.

Os condutores saberão, no entanto, a localização das 50 cabines, que estarão devidamente sinalizadas. Estas estruturas de aço vão estar distribuídas por vias nacionais, desde autoestradas, estradas nacionais, itinerários principais e complementares.

Este sistema vai juntar-se aos radares móveis usados pela PSP e pela GNR e aos radares fixos existentes atualmente e que são geridos pelas forças policiais nas instalações da ANSR.

A instalação da totalidade dos 50 locais de controlo de velocidade deverá estar concluída dentro de nove meses, adianta o mesmo jornal.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG