Portugal há seis dias com menos de mil novos casos diários de covid-19

Há mais 28 mortes e 949 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas. Dados da DGS mostram que há mais 1606 pessoas que recuperaram da infeção pelo SARS-CoV-2 e os internamentos continuam a cair.

Há mais 949 casos de covid-19 e 28 mortes em Portugal, segundo os dados da Direção-Geral da Saúde (DGS) referentes às últimas 24 horas. Há seis dias que o número de novos casos fica abaixo dos mil.

O boletim epidemiológico desta sexta-feira (5 de março) indica ainda que o número de internados continua a diminuir. Estão hospitalizados 1583 doentes infetados com o novo coronavírus (menos 125 que na véspera). Nas unidades de cuidados intensivos, o número baixou para 383 (menos 16).

O número de internamentos é o mais baixo desde 25 de outubro, dia em que estavam hospitalizadas 1574 pessoas, sendo que o número de doentes nos cuidados intensivos é o mais baixo desde 12 de novembro, dia em que estavam também 383 pessoas nestas unidades.

Desde o início da pandemia, já foram contabilizados 808 405 casos de covid-19 em Portugal e 16 486 mortes.

O número de óbitos desta sexta-feira é igual ao de quinta-feira, sendo estes os valores mais baixos desde 28 de outubro.

No boletim desta sexta-feira há mais 1606 recuperados (são já 728 659 os que ultrapassaram o coronavírus) e menos 685 casos ativos. Há atualmente no país 63 260 casos ativos de covid-19.

As autoridades têm ainda 28 881 contactos em vigilância, menos 2160 do que na véspera.

A região de Lisboa e Vale do Tejo continua a ser a que apresenta os números mais elevados quer de novos casos (mais 436), quer de óbitos (mais 17).

Na região Norte há mais 192 casos e cinco mortes, no Centro são mais 118 casos e mais três mortes, no Alentejo mais 36 casos e três mortes e no Algarve mais nove casos.

Na Madeira há mais 163 casos (é o quarto dia acima dos cem novos casos diários), enquanto nos Açores regista-se uma diminuição do número total de casos. No boletim de quinta-feira havia registo de 3796 casos e no desta sexta são menos cinco, 3791.

"O relatório de hoje reflete uma descida do número total de casos da região dos Açores, por força da necessidade de correção de dois casos duplicados, transferência de seis casos para outras regiões de ocorrência , e notificação de três novos casos na região dos Açores no dia em análise", lê-se no boletim epidemiológico desta sexta-feira.

Dos 28 óbitos registados, 19 são de doentes com mais de 80 anos. Cinco são de pacientes com idade entre os 70 e os 79 anos, dois na faixa etária dos 60 aos 69 anos e outros dois na dos 50 aos 59.

Proibido circular entre concelhos a partir das 20.00

Também esta sexta-feira - dia em que volta a ser proibido a circulação entre concelhos do continente, a partir das 20:00 - foram revelados os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), dando conta de que a percentagem de mortes em Portugal atribuídas à covid-19 desceu entre 8 e 21 de fevereiro para cerca de metade da percentagem verificada na quinzena anterior.

O número de mortes associadas à covid-19 entre 25 de janeiro e 7 de fevereiro tinha-se situado acima dos 40% do total de óbitos, mas nas duas semanas seguintes foi descendo até se situar nos 21,7% do total na semana de 15 a 21 de fevereiro, em que morreram 2824 pessoas, mais 696 do que a média para o mesmo período nos últimos cinco anos.

Pandemia responsável pela morte de 17 mil profissionais de saúde

Entre as vítimas desta doença estão também aqueles que combatem a pandemia, que cuidam dos outros. De acordo com a Amnistia Internacional (AI), pelo menos 17 mil profissionais de saúde morreram de covid-19 em 2020 em todo o mundo.

"É uma tragédia e uma injustiça que, a cada 30 minutos, um profissional de saúde morra com covid-19. Trabalhadores em todo o mundo colocaram as suas vidas em risco para tentar manter as pessoas protegidas contra a covid-19, mas muitos foram deixados desprotegidos e pagaram o preço mais elevado", denuncia Steve Cockburn, especialista em Justiça Económica e Social da AI, citado nesta análise conduzida pela organização não-governamental (ONG) e realizada em parceria com a Public Services International e a UNI Global Union.

De acordo com os dados disponibilizados ao DN pela Direção-Geral da Saúde, e dos quais constam os números já de janeiro e de fevereiro deste ano, 27 973 profissionais de saúde em Portugal foram infetados pelo SARS-CoV-2, destes 16 175 já recuperaram, registando-se 19 óbitos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG