Há menos internados e menos casos ativos de covid-19

Dados da Direção-Geral da Saúde indicam que há mais 2676 casos de covid-19 e que estão agora 681 doentes internados, dos quais 145 em unidades de cuidados intensivos. Registaram-se mais 2996 casos de pessoas que recuperaram da doença.

O boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) indica que Portugal confirmou, nas últimas 24 horas, 2676 novos casos de covid-19 e oito mortes.

O relatório deste sábado (21 de agosto) dá conta de que há 681 pessoas internadas com covid-19 (menos seis doentes face ao reportado na sexta-feira). Nas unidades de cuidados intensivos o número sobe para os 145 (mais dois). O número de internados desce pelo quinto dia consecutivo.

Neste momento há menos 328 casos ativos e menos 389 casos em vigilância, num universo de 50 638 que se encontram nesta situação.

A região com mais casos notificados é a do norte, com 911, mas apenas com dois mortos a assinalar. A de Lisboa e Vale do Tejo tem mais 885 novos casos de covid-19, mas registou seis mortos. A região centro é a terceira mais penalizada, com 410 casos, mas sem qualquer óbito. O que se verifica também no Alentejo, com 138 casos e na do Algarve com 232.

Na região autónoma dos Açores foram notificados 48 casos e na da Madeira 52, mas sem qualquer morte.

No relatório de sexta-feira, a DGS tinha dado conta que a taxa de incidência a 14 dias desceu ligeiramente para 312,3 casos por 100 mil habitantes a nível nacional (na última atualização era de 314,6). Já no que se refere ao continente, a incidência está em 316,6 infetados por 100 mil habitantes (antes era de 319,0).

Já o índice de transmissibilidade mantém-se inalterado, abaixo do valor 1 (0,98), tanto a nível nacional como no continente, refere ainda o relatório da DGS.

Vacinação dos 12 aos 15 anos começou

A vacinação contra a covid-19 de crianças e jovens entre os 12 e os 15 anos começou este sábado, no primeiro de dois fins de semana dedicados a esta faixa etária. Para este primeiro fim de semana estão agendadas cerca de 110 mil pessoas, um quarto do total.

Além daqueles que tenham realizado o pedido de autoagendamento para os dias 21 e 22 de agosto, e aqueles que tenham sido chamados pelos serviços de saúde, a 'task-force' que coordena o programa de vacinação decidiu abrir também a modalidade "Casa Aberta", à semelhança do que aconteceu no fim de semana anterior com os jovens de 16 e 17 anos.

As datas para a toma da segunda dose também já estão definidas. No fim de semana de 11 e 12 de setembro, os jovens entre os 12 e os 15 anos estarão de regresso para completar a vacinação, mesmo antes do início do ano letivo.

A vacinação desta faixa etária vai continuar no fim de semana de 28 e 29 de agosto, estando aberto o autoagendamento para essas datas até sábado, que abrange também a faixa etária dos 16 e 17 anos.

Segunda de nova "libertação"

Na próxima segunda-feira o desconfinamento dá um novo passo, com 70% da população já vacinada. Transportes sem limites de lotação, grupos maiores nos restaurantes, espetáculos culturais, casamentos e batizados com limite de 75% da lotação.

As medidas de desconfinamento previstas para 5 de setembro vão entrar em vigor na próxima segunda-feira, 23 de agosto, com o país já em situação de contingência e não de calamidade, um patamar intermédio nos três graus de alerta definidos na Lei de Bases da Proteção Civil. À luz deste novo enquadramento já não podem ser determinados, por exemplo, quaisquer limites à circulação.

Com a vacinação a atingir os 70% da população antes da data prevista, o Conselho de Ministros decidiu na sexta-feira dar um passo em frente no desconfinamento. "Chegou o momento de passar à próxima fase", afirmou a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, no final da reunião extraordinária do Governo, que decorreu por vídeo conferência.

Com esta decisão, os restaurantes, cafés e pastelarias passam a ter um limite máximo de oito pessoas por grupo no interior e 15 pessoas por grupo em esplanadas; os transportes públicos deixam de ter limites de lotação, uma medida que abrange os táxis e os TVDE; os espetáculos culturais poderão atingir os 75% de lotação dos espaços; os eventos como casamentos e batizados passam também a ter um limite máximo de 75% da lotação.

A ocupação máxima nos espaços comerciais vai igualmente sofrer alterações, aumentando das atuais cinco pessoas por 100 metros quadrados para oito pessoas. A obrigatoriedade de marcação prévia para atendimento nos serviços públicos também avança, mas neste caso só a partir de 1 de setembro.

Há uma outra norma prevista para esta segunda fase, o fim da obrigação do uso de máscara ao ar livre, que não é revogada. Na conferência de imprensa que se seguiu à reunião do Conselho de Ministros, Mariana Vieira da Silva, (que assegura atualmente a chefia do Governo, durante o período de férias de António Costa) voltou a remeter essa decisão para a Assembleia da República, sublinhando que esta é uma medida com fortes implicações nos direitos, liberdades e garantias dos cidadãos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG