Governo equaciona transferência de 10 doentes para a Áustria

Após conversa com António Costa, o chanceler austríaco Sebastian Kurz anunciou ajuda a Portugal. Ministérios da Saúde dos dois países em conversações sobre a forma como se vai proceder à transferência de doentes.

A transferência de 10 doentes de cuidados intensivos para a Áustria, num apoio ao abrigo da cooperação europeia para o combate à pandemia de covid-19, é ainda uma opção, disse esta sexta-feira o Governo português.

Num comunicado enviado às redações, o gabinete do ministério liderado por Marta Temido assume que "na semana passada" foi efetuado "um contacto bilateral" com o Governo austríaco e que o parceiro europeu "disponibilizou capacidade para tratamento de 10 doentes de cuidados intensivos em diversos hospitais do país".

"Esta opção, que constitui um apoio que poderá ser fundamental num momento em que Portugal enfrenta ainda uma elevada pressão sobre os hospitais, foi encaminhada para ponderação pela Comissão de Acompanhamento da Resposta Nacional em Medicina Intensiva para a covid-19", pode ler-se ainda na nota hoje divulgada.

Depois do auxílio da Alemanha, que enviou esta quarta-feira uma equipa médica militar e equipamento médico para Portugal, o Governo acrescenta ainda que "houve várias ofertas" e que "todas as hipóteses estão a ser consideradas" no atual contexto. Apesar de considerar estes "gestos importantes" ao nível da solidariedade europeia, o executivo português não deixa de classificá-los como "simbólicos" no combate à pandemia.

Segundo a agência noticiosa EFE, os doentes portugueses - entre os quais cinco com infeções graves pelo novo coronavírus e cinco com outras doenças ou cirurgias pendentes - serão transportados para clínicas em Viena e quatro outras regiões do país em aviões do exército federal austríaco, numa data ainda por confirmar pelos dois governos.

Esta possibilidade de auxílio já tinha sido anunciada esta sexta-feira pelo governo austríaco. "Tal como já aceitámos pacientes a necessitar de cuidados intensivos de França, Itália e Montenegro, agora queremos ajudar Portugal nesta difícil situação", disse o chanceler austríaco Sebastian Kurz, enquanto o ministro da Saúde, Rudolf Anschober, acrescentou que "para derrotar com sucesso esta pandemia, a solidariedade internacional deve tornar-se ainda mais central".

"Se os nossos vizinhos europeus precisam de ajuda urgente e nós podemos oferecê-la, então é hora de ajudar de forma rápida e fácil. É assim que salvamos vidas e podemos ajudar Portugal, que se encontra numa situação difícil, nestes tempos difíceis", acrescentou Anschober.

Esta ajuda surge como resposta à necessidade de ajuda de Portugal, que tem neste momento os hospitais em sobrecarga, depois de um contacto telefónico no último fim de semana entre os chanceler austríaco Sebastian Kurz e o primeiro-ministro António Costa.

O governo austríaco já disponibilizou também as suas Forças Armadas para transportar esses doentes portugueses. "No contexto da crise pandémica, os nossos profissionais médicos e de transporte aéreo já realizaram vários transportes médicos, como no Kosovo", revelou a ministra da Defesa, Klaudia Tanner, assumindo a vontade de "oferecer este apoio também a Portugal" e garantir que o seu governo está "pronto para ajudar "

Portugal registou esta sexta-feira 258 mortes relacionadas com a covid-19 e 6916 casos de infeção com o novo coronavirus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). O boletim da DGS revela também que estão internadas 6.412 pessoas, menos 84 do que na quinta-feira, das quais 904 em unidades de cuidados intensivos, mais 41.

Desde março de 2020, Portugal já registou 13 740 mortes associadas à covid-19 e 755 774 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, estando esta sexta-feira ativos 156 758 casos, menos 4684 do que na quinta-feira.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG