80 pipas de vinho novo, verde tinto. É o S. Martinho de Penafiel

É já tradição na Feira de S. Martinho de Penafiel os visitantes experimentarem o vinho das adegas da região acompanhado de castanhas assadas

Mais de 80 pipas de vinho novo deverão se consumidas, até domingo, por cerca de 100.000 pessoas na tenda gigante da Feira de S. Martinho que está a decorrer em Penafiel, previu esta quinta-feira a organização.

"Este ano, a tenda é maior e mais alta do que nas edições anteriores para permitir que mais pessoas possam desfrutar do espaço, em simultâneo e em ambiente de festa, e provar o vinho novo, verde tinto, das nossas adegas", contou à Lusa o vereador Adolfo Amílcar.

O autarca acrescentou que estarão presentes várias adegas da região do Vale do Sousa e Baixo Tâmega, que disponibilizarão o vinho verde tinto da campanha de vindimas deste ano.

É tradição as pessoas, muitas vezes famílias inteiras, depois de uma longa espera na fila experimentarem o vinho das várias adegas, acompanhado das muitas toneladas de castanhas assadas num assador comunitário montado pela organização. No final, discutem qual o melhor exemplar do vinho novo, num ambiente de partilha que congrega gerações.

Adolfo Amílcar sublinha que a maioria das pessoas que cumpre a tradição da prova do vinho novo no S. Martinho é da região, mas muitas vêm de vários pontos de Portugal.

"Alguns até já colecionam as tradicionais tigelinhas ou canecas de barro de cada ano", contou.

A Feira de S. Martinho reúne, nas principais artérias da cidade, mais de cinco centenas de feirantes licenciados pela autarquia, a maioria a comercializar agasalhos de inverno, sobretudo as tradicionais samarras de Penafiel, e frutos secos, com predominância para as centenas de toneladas de castanha que vem de Trás-os-Montes e da Beira Alta.

A afluência de pessoas à feira costuma ser na ordem das centenas de milhares, o que obriga ao encerramento da circulação automóvel nas principais ruas e avenidas de Penafiel. Muitos visitantes têm de deixar os seus veículos a vários quilómetros das festividades.

As questões da segurança, vinco o vereador, são este ano reforçadas, com mudanças nas zonas de passagem mais complexa, para garantir o acesso de viaturas de emergência.

A tradição centenária do S. Martinho de Penafiel também se evidencia na música e nas danças, com a participação dos grupos do concelho, ou na feira do gado cavalar que, no dia de S. Martinho, este ano vai reunir mais vendedores, de todo o país.

Onze de novembro é feriado municipal de Penafiel, mas é também o dia em que muitos comerciantes da cidade fazem o maior volume de negócios do todo o ano, aproveitando a tradição de consumo desta feira.

"O S. Martinho é muito importante para Penafiel. Para além do lado festivo e da tradição, salienta-se a relevância económica para o concelho", disse o autarca, frisando que, por estes dias, as unidades hoteleiras e de restauração enfrentam a maior invasão de clientes de todo o ano.

Mais Notícias