EUA recomendam uso de duas máscaras em simultâneo por causa de novas estirpes

Ideia é utilizar uma máscara reutilizável sobre uma máscara cirúrgica (descartável).

O Centro de Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA recomendou a utilização em simultâneo de duas máscaras para evitar o contágio pelas estirpes do SARS-CoV-2 detetadas no Reino Unido, Brasil e África do Sul, mais contagiosas.

De acordo com as diretrizes anunciadas pelo Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos da América (EUA), é recomendada a utilização de uma máscara reutilizável por cima de uma cirúrgica (que é descartável).

Em alternativa, é recomendável a utilização de uma máscara considerada de alta proteção, como, por exemplo, as máscaras FFP2, com um reforço para que fique bem fixada, de modo a bloquear a entrada do SARS-CoV-2 de qualquer maneira.

Os dois métodos demonstraram ser eficazes ao nível da redução da probabilidade de contágio em cerca de 95% dos ensaios em laboratório, dá conta o CDC.

Os Estados Unidos -- país mais afetado pela pandemia ao nível de contágios e de óbitos associados à covid-19 -- mudaram radicalmente a estratégia de mitigação da propagação do vírus com o início da administração do democrata Joe Biden.

O Presidente dos EUA anunciou a obrigatoriedade da utilização de equipamentos de proteção individual em transportes, uma decisão que até agora era exclusiva dos operadores.

A administração do antigo Presidente, o republicano Donald Trump, estava reticente durante os primeiros meses da pandemia em recomendar a utilização de máscaras e viseiras como o método mais eficaz e menos restritivo de conter a vírus.

Estas recomendações chegam na mesma altura em que o país está a registar o aumento no número de infeções originadas pelas variantes detetadas no Reino Unido, Brasil e África do Sul, que são mais contagiosas.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG