Em junho sai primeiro dossiê do Conselho Estratégico

Só em duas distritais, Setúbal e Castelo Branco, é que já estão a funcionar as secções temáticas que vão preparar temas para o partido.

O primeiro documento produzido pelo Conselho Estratégico Nacional (CEN) do PSD sairá para debate nas distritais do partido e para discussão pública em junho, mas não será monotemático e agregará várias matérias de atualidade.

O presidente do CEN, David Justino, garante também ao DN que as secções nacionais daquele órgão, que agrupa 16 coordenadores e outros tantos porta-vozes, já estão a trabalhar em conjunto para produzir um caderno de encargos para algumas iniciativas a desenvolver pelo partido nos próximos meses.

David Justino, que acumula o cargo de presidente do CEN com o de coordenador da área da Educação, Cultura, Juventude e Desporto, tem vindo a reunir-se com as secções nacionais mas também com as distritais do PSD para acompanhar a constituição das equipas temáticas.

Reconhece que é "um processo que vai indo a pouco e pouco", mas que está a avançar. Este novo órgão do PSD, aprovado em abril, seria, segundo a vontade de Rui Rio, complementado com secções temáticas em todas as distritais do PSD. Mas neste momento apenas estão criadas em duas: uma de saúde na distrital de Setúbal e outra de educação na de Castelo Branco (em parceria com as da Guarda e de Portalegre).

David Justino reforça que o objetivo central de todo o processo, quando estiver a andar a todo o vapor, é que o CEN produza estudos e propostas que municiem a direção nacional do PSD para os grandes temas nacionais. "E que no final do processo, depois de discutidas pelas estruturas internas e na opinião pública, sirvam para criar o cimento para o programa de governo do PSD."

O antigo ministro da Educação vai continuar a reunir-se com as distritais durante o mês de junho "para adjudicar a cada secção um conjunto de metas e compromissos para produzir documentos ou dossiês mais estruturantes sobre setores politicamente relevantes.

Segundo o Público, Rui Rio terá enviado às distritais uma carta a apelar a um maior empenho para a criação das equipas que, quando apresentou o Conselho Estratégico Nacional, considerou ser uma "revolução" no gabinete-sombra do partido.

Mas as distritais alegam que o processo demora porque há que cumprir etapas internas para criar as estruturas pretendidas.

Rio no PPE

O presidente do PSD, Rui Rio, participa entretanto na cimeira do PPE, na Bulgária, onde considerou "normal" o endurecimento do discurso da União Europeia em relação às decisões "no sentido errado" do presidente norte-americano, Donald Trump.

"Que os passos que têm sido dados têm sido passos no sentido errado, contrário ao que deveria ser, é evidente, e têm causado uma perturbação brutal no mundo todo. Veja-se a recente passagem da embaixada para Jerusalém que originou aquilo que todos vimos [62 palestinianos morreram nos confrontos com o exército israelita]. É normal que o discurso vá endurecendo", disse o líder social-democrata. Com Lusa

Mais Notícias

Outras Notícias GMG