"Criámos a ideia que toda a despesa em educação é boa"

David Justino diz que, em Portugal, nem toda a despesa com a educação tem sido um bom investimento, lamentando a ineficiência na gestão dos recursos.

E avisa que estamos a preparar alunos com os programas de há 20 anos, com "remendos" que não servem os conhecimentos que hoje se exigem.

Em entrevista n'O Estado da Nação, programa conduzido por João Marcelino, diretor do DN, e Paulo Baldaia, diretor da TSF, o presidente do Conselho Nacional de Educação sublinha que os professores têm conseguido separar, de forma "notável", o mal estar profissional do desempenho nas salas de aulas. Afirma que os diretores das escolas públicas beneficiavam com formação ao nível da gestão e refere que o caminho deve ser uma maior capacidade de intervenção das escolas na gestão dos seus recursos, descentralizando competências do Estado central.

Sobre a rede do ensino superior, David Justino realça a necessidade de haver um "critério de coesão nacional" que faça universidades e politécnicos abdicarem de uma oferta generalista para se concentrarem em áreas de competência específica, que não se sobreponha nas várias instituições. No que diz respeito à atualidade, refere que a fragilidade do sistema político português tem impedido compromissos entre os partidos do arco da governação, mas que essa convergência será necessária para resolver os problemas do País, da dívida ao crescimento económico.

Leia mais no e-paper do DN

Mais Notícias

Outras Notícias GMG