Autoridades garantem que praga de baratas no Hospital da Covilhã está resolvida

Na sexta-feira, o Bloco de Esquerda denunciou a existência de baratas na cozinha e no refeitório do Hospital da Covilhã

A autoridade de saúde responsável pelo Hospital da Covilhã, onde foi denunciada a existência de baratas na cozinha e no refeitório, disse hoje que já foi feita uma vistoria e que não detetou os insetos referidos.

"Com as medidas tomadas, na última vistoria que fiz não havia baratas na cozinha e nos equipamentos referidos no centro hospitalar da Cova da Beira", afirmou a responsável pela autoridade de saúde do Agrupamento de Centros de Saúde da Cova da Beira (que inclui o Hospital da Covilhã), Henriqueta Forte, à Lusa.

Na sexta-feira, o Bloco de Esquerda denunciou a existência de baratas na cozinha e no refeitório do Hospital da Covilhã, situação que a unidade hospitalar garantiu já ter sido ultrapassada após a realização de uma desinfestação.

Hoje, em declarações à Lusa, Henriqueta Fortes afirmou que teve conhecimento da situação e que, por isso, houve reforço do controlo de pragas. "Dantes fazia-se desbaratização, mas, sim, apareceram. Houve então um controlo de pragas mais apertado para não se voltar a repetir", afirmou.

Segundo a delegada de saúde, após as medidas tomadas pelo hospital (a 16, 17 e 18 de fevereiro), houve uma vistoria pela autoridade de saúde que detetou que "não havia baratas".

Na sexta-feira, o BE disse que, mesmo depois do encerramento para a desinfestação, "continuavam a aparecer baratas no hospital".

O Centro Hospitalar da Cova da Beira integra os Hospitais da Covilhã e no Fundão, no distrito de Castelo Branco.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG