Líder do PS/Porto diz que "há mesmo razões para ter medo" de um regresso do PSD ao Governo

O líder da Federação do Porto do PS afirmou que "há mesmo razões para ter medo" de um eventual regresso do PSD ao Governo, num discurso em que acusou os sociais-democratas de "opacidade" nesta campanha eleitoral.

Manuel Pizarro, eurodeputado socialista, falava na abertura do último comício socialista da campanha para as eleições legislativas, no pavilhão Rosa Mota, antes dos discursos do cabeça de lista pelo Porto, Alexandre Quintanilha, do antigo líder parlamentar Francisco Assis e do secretário-geral, António Costa.

António Costa entrou no pavilhão Rosa Mota, por volta das 21:30, António Costa e subiu imediatamente ao palco para saudar os apoiantes, tendo ao seu lado o deputado Alexandre Quintanilha e os presidentes das câmaras de Matosinhos e de Vila Nova de Gaia, respetivamente Luísa Salgueiro e Eduardo Vítor Rodrigues.

No primeiro discurso do comício, Manuel Pizarro falou no "terrível combate sanitário" contra a covid-19 e disse que o país tem de agradecer ao primeiro-ministro, António Costa -- palavras que levantaram os apoiantes socialistas nas bancadas do pavilhão.

"A partir do Porto, tu, António Costa, vais levar daqui uma grande vitória", declarou o presidente da Federação do Porto do PS.

Manuel Pizarro procurou depois responder a declarações proferidas pelo presidente do PSD, Rui Rio, que acusou o PS de estar a explorar o medo.

O eurodeputado socialista sustentou depois que um regresso do PSD ao Governo "é mesmo razão para ter medo".

"Eles dizem que vão ser diferentes, mas é Rio escondido com gato de fora", disse numa alusão ao líder social-democrata e ao seu gato Zé Albino.

"Têm zero sobre salários mínimo, zero sobre subida das reformas. A descida do IRS fica para 2025. Onde eles querem opacidade, nós temos compromissos", acrescentou Manuel Pizarro, numa intervenção em que também pediu aos socialistas para não se deixarem influenciar pelas sondagens.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG