Exclusivo Bloco Central. A longa marcha do secretário-geral

Emissário: a evolução política do país nos anos 80 manteve as divisões entre PS e PCP em carne viva. Mas as presidenciais de 1986 transformaram Sampaio num agente de ligação entre Soares e Cunhal, de que resultou a eleição do socialista

O clima de divisão interna no PS agravou-se ao longo de 1982, sobretudo a propósito do processo de revisão constitucional. Jorge Sampaio assumiu-se cada vez mais como elemento destacado da minoria, embora fosse ele a pôr água na fervura nos momentos mais acalorados do desaguisado entre Mário Soares e Salgado Zenha.

Nas jornadas parlamentares de janeiro de 1982, quando Zenha se queixou de que "não estava disposto a aturar atitudes de má-criação" e Soares respondeu com um desafiador "se for preciso separarmo-nos, então separemo-nos", Sampaio interveio para fazer um apelo "à calma e à amizade" entre os camaradas.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG