"Votei contra mim mesma". Joacine atira responsabilidades para direção do LIVRE

Deputada explica porque se absteve no voto de condenação às ofensivas israelitas na Faixa de Gaza.

Joacine Katar Moreira veio este sábado explicar por que razão se absteve, no Parlamento, no voto de condenação apresentado pelo PCP contra as ofensivas israelitas em Gaza.

Em comunicado publicado nas redes socais, a deputada do LIVRE assume "toda a responsabilidade" do voto, afirmando que o fez contra o que acrdita.

"Assumo total responsabilidade pelo voto e devo dizer que, apesar de a abstenção não constituir um voto a favor ou um voto contra, ela não representou aquilo que tem sido desde sempre a minha posição pública sobre esta temática. Votei contra a direção de mim mesma", escreve Joacine Katar Moreira em comunicado, passando a atirar para a direção do partido responsabilidades no caso.

Segundo a deputada, a abstenção no voto de condenação pela "nova agressão israelita a Gaza não se deveu a uma falta de consciência ou descaso desta grave situação, mas à dificuldade de comunicação" entre a própria e a atual direção do Livre, da qual é "parte integrante".

"Foram três dias de contacto infrutífero para saber dos posicionamentos da direção relativos ao sentido de voto das propostas que nos chegaram, onde esta constava", afirma.

No comunicado, Joacine Katar Moreira começa "por saudar todas as entidades e todos partidos que apoiam a causa palestiniana" e pedir "desculpa a todas as pessoas palestinianas e todas as outras que se sentiram lesadas e defraudadas" com a abstenção de sexta-feira.

O Livre manifestou este sábado preocupação com a abstenção da deputada única na condenação pela "nova agressão israelita a Gaza", aprovado na sexta-feira no parlamento, um voto "em contrassenso" com o programa e as posições do partido, de acordo com o comunicado do Grupo de Contacto, a direção do partido.

Com Lusa

Mais Notícias