Paulo Cafôfo anuncia candidatura a líder do PS/Madeira

O deputado socialista no parlamento da Madeira Paulo Cafôfo apresentou este sábado, dia 15 de fevereiro, a sua candidatura à liderança do PS/Madeira nas eleições diretas que se realizam a 09 de maio.

"Candidato-me à liderança do PS com uma convicção que estou a prestar o meu melhor contributo para afirmar uma alternativa que é capaz de mobilizar os madeirenses e porto-santenses (...) e por um dever de responsabilidade que sinto de não recuar e de manter a esperança (...) numa mudança política que vai acontecer mais cedo do que eles [PSD/CDS] pensam", disse Paulo Cafôfo, no Funchal, na apresentação da sua candidatura, sob o lema "Avançar a Madeira pelas pessoas".

O PS/Madeira tem eleições diretas para eleger o presidente do partido em 09 de maio, sendo esta a primeira candidatura formalizada ao cargo. A nova direção do partido será empossada no congresso marcado para 23 e 24 do mesmo mês.

Paulo Cafôfo disse haver no arquipélago da Madeira "uma maioria social" que apoia o PS e a mudança política que quer protagonizar na região.

"Aquilo que nós temos de fazer é transformar essa maioria social em maioria política, é esse o desafio e só não o conseguimos porque o CDS decidiu prolongar a agonia deste regime na região", declarou.

A Madeira é governada há 44 anos por executivos liderados pelo PSD, que nas últimas legislativas regionais, em 2019, perdeu pela primeira vez a maioria absoluta, havendo agora um governo de coligação PSD/CDS na região.

"Esta coligação do PSD e do CDS é uma fraude porque defraudou as expetativas de quem neles votou. O PSD e o CDS têm sido os protagonistas de uma perturbação social e política", disse Paulo Cafôfo, exemplificando com a "novela" na nomeação do diretor clínico do Serviço Regional de Saúde, que levou à demissão de 33 diretores de serviços.

Paulo Cafôfo, duas vezes eleito presidente da Câmara Municipal do Funchal com o apoio do PS, encabeçou, como independente, a lista de candidatos dos socialistas às regionais de 22 de setembro passado, nas quais o partido elegeu 19 deputados, passando a ser a maior força política da oposição na Madeira.

A seguir às regionais de 2019, em novembro, Paulo Cafôfo filiou-se no PS, assumindo na altura a disponibilidade para se candidatar a líder do partido na Madeira.

Cafôfo assegurou hoje que a sua candidatura marca "um novo ciclo no interior" do PS/Madeira que se vai concretizar ao nível da unidade e fortalecimento do partido, reforçando a sua influência política e social; nas eleições autárquicas e na afirmação dos socialistas como alternativa política na Região Autónoma da Madeira.

"Quero que haja uma construção de soluções e não uma construção de conspirações e é por isso que esta autonomia que defendo é uma autonomia que não pode servir, nem para criar medos, nem para fomentar vassalagens", referiu. Paulo Cafôfo

"O PS é um partido autonomista e é comigo, à frente do PS, que vamos refundar e aprofundar a autonomia, noutra estratégia, noutra visão para a nossa região", garantiu, sublinhando: "Não podemos viver de uma conspiração constante inventada por parte do PSD".

"Quero que haja uma construção de soluções e não uma construção de conspirações e é por isso que esta autonomia que defendo é uma autonomia que não pode servir, nem para criar medos, nem para fomentar vassalagens", referiu. Paulo Cafôfo disse ainda que "sem decisão não há autonomia e essa decisão implica que a região e o governo desta região não se exclua de estar presente dos centros de decisão".

"Esta autonomia é uma autonomia da responsabilidade, que serve para unir os madeirenses e não para dividir, temos de estar juntos porque os desafios implicam que todos estejamos no mesmo barco com opiniões diferentes mas não ponham madeirenses contra madeirenses", afirmou.

Mais Notícias