Morreu António Taborda, defensor de presos políticos durante o Estado Novo

Ex-deputado e advogado nasceu em 1934 no Gavião, distrito de Portalegre. Tinha 86 anos.

António Taborda, advogado, ex-deputado do MDP/CDE, figura destacada da crise académica de 1962 e defensor de presos políticos durante o Estado Novo, morreu na segunda-feira no Porto, aos 86 anos, disse hoje à Lusa fonte da família.

António Monteiro de Almeida Taborda nasceu em 1934 no Gavião, distrito de Portalegre, participou ativamente na campanha eleitoral do general Humberto Delgado, em 1958, tendo sido mais tarde uma das principais figuras da crise académica de Coimbra.

Em 1961 envolveu-se na organização I Encontro Nacional de Estudantes Portugueses, que acabou por ser proibido pelo regime.

Como advogado, defendeu vários presos políticos nos Tribunais Plenários do Estado Novo.

Após o 25 de Abril de 1974, foi deputado do MDP/CDE (1982-1985).

António Taborda foi advogado das vítimas dos atentados terroristas da extrema-direita no norte de Portugal - no julgamento do processo conhecido como Rede Bombista -, no Tribunal Territorial Militar de Lisboa.

Exerceu advocacia durante mais de 50 anos e em abril de 2019 foi condecorado com a Ordem da Liberdade, por proposta do ex-Presidente da República Jorge Sampaio.

Segundo fonte da família, o velório de António Taborda realiza-se hoje a partir das 15.00 na Igreja das Antas, no Porto, e o funeral decorre na quarta-feira, a partir do mesmo local.

Mais Notícias