Ferro Rodrigues: "Se as eleições fossem amanhã não hesitaria em votar em Marcelo"

Presidente da Assembleia da República e antigo líder do PS disse esta segunda-feira que votaria em Marcelo Rebelo de Sousa se as eleições fossem amanhã. Tomada de posição acontece um dia depois da socialista Ana Gomes ter admitido refletir sobre uma eventual candidatura a Belém

"Não mudei uma vírgula sobre aquilo que disse há ano e meio. Se as eleições fossem amanhã, na hesitaria em votar no professor Marcelo Rebelo de Sousa", afirmou o presidente da Assembleia da República à entrada de um restaurante em Lisboa onde almoçou com o primeiro-ministro, assinalando a reabertura de restaurantes e cafés após o estado de emergência.

Após a entrevista de António Costa à TSF, esta segunda-feira, em que o primeiro-ministro deu como certa uma reeleição de Marcelo Rebelo de Sousa e das suas declarações durante a visita à fábrica Autoeuropa, Ferro Rodrigues, presidente da Assembleia da República e líder do Partido Socialista entre 2002 e 2004, veio demonstrar apoio público ao atual Presidente da República também esta segunda-feira.

"Hoje é um dia muito importante. Daqui a 15 dias e a um mês teremos de fazer novo balanço. Não sou propriamente um otimista, mas estou otimista."

As declarações foram feitas minutos antes de se sentar à mesa do restaurante "O Alfaia", no Bairro Alto. "Hoje é um dia muito importante. Daqui a 15 dias e a um mês teremos de fazer novo balanço. Não sou propriamente um otimista, mas estou otimista."

O convite para este almoço partiu do primeiro-ministro. "Escolhi um restaurante tradicional, uma casa muito antiga, e quero dar um sinal aos portugueses de confiança na restauração e um agradecimento, foi um dos setores mais atingidos" pela pandemia, disse António Costa.

"Tenho saudade daqueles pratos leves tipo cozido à portuguesa, feijoada, sardinhas assadas, coisas assim levezinhas."

Ferro Rodrigues reagiu com bom humor ao convite: "Fica já aqui visto quem vai pagar a conta." E apreciou a escolha do restaurante, visto que o frequente "há 40 anos". Revelou também a gastronomia de que sente falta: "Tenho saudade daqueles pratos leves, tipo cozido à portuguesa, feijoada, sardinhas assadas, coisas assim levezinhas."

O primeiro-ministro tem-se desdobrado em sinais de confiança esta segunda-feira. Antes das 09:00, tomou o pequeno-almoço em Benfica na pastelaria "Califa", lembrando que "se continuarmos todos parados sobrevivemos à doença, mas podemos não sobreviver à cura".

Este domingo, Ana Gomes, antiga eurodeputada socialista veio admitir refletir sobre uma eventual candidatura da Belém.

A ex-eurodeputada considerou este domingo, na SIC Notícias, que a semana política que agora terminou veio mudar os dados do jogo. "A situação não é igual ao dia anterior a este vaudeville que nos encenaram", afirmou. "Não tenho a ambição de ser candidata, mas o que se passou é tão grave, tem tantas implicações para a democracia, que fico preocupada", acrescentou.

A possibilidade de uma candidatura de Ana Gomes a Belém foi levantada por Francisco Assis em fevereiro deste ano.

Mais Notícias