Paul Walker ia a 160 quilómetros/hora quando se despistou

O relatório final do médico legista revela que nem o ator de "Velocidade Furiosa" nem o condutor do Porsche tinham vestígios de drogas ou álcool. Mas a viatura ia em excesso de velocidade.

De acordo com este relatório, divulgado hoje pelo Instituto Médico-Legal de Los Angeles, Roger Rodas, o condutor do Porsche Carrera GT vermelho em que seguia Paul Walker, "guiava a uma velocidade perigosa, à volta dos 160 quilómetros/hora". A velocidade recomendada naquela zona seria de 45 milhas/hora ou seja, cerca de 72 quilómetros/hora).

"O veículo ficou completamente destruído (...) e praticamente ficou dividido em dois", acrescenta o relatório, citado pela France Press, precisando que "a maior parte da carcaça da viatura ficou carbonizada".

O relatório indica ainda que nem Roger Rodas, 39 anos, nem Paul Walker, 40, tinham vestígios de álcool ou drogas no organismo.

Os dois morreram num acidente de viação em Santa Clarita, Los Angeles, a 30 de novembro. Segundo a autópsia, cujos resultados já haviam sido revelados, o ator morreu das lesões provocadas pelo impacto e pelo incêndio que deflagrou depois do embate contra uma árvore. Já o condutor, Roger Rodas, morreu na sequência apenas do impacto. Conclusões que foram confirmadas neste relatório final hoje divulgado.

O site TMZ acrescenta que o corpo de Paul Walker estava de tal forma queimado que nenhum órgão estava em condições para ser doado. Diz ainda que o ator estava em posição defensiva (abraçado sobre si próprio) e que tinha fraturas no maxilar, clavícula, braço esquerdo, algumas costelas e ainda fraturas pélvicas.

Paul Walker estava a rodar o sétimo filme da saga "Velocidade Furiosa", cuja estreia foi adiada de julho deste ano para abril de 2015. Desconhece-se o que acontecerá às cenas já gravadas pelo ator.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG