Portugal recebeu 900 mil testes, mas faltam 'kits' essenciais para os realizar

Este sábado Portugal recebeu 900 mil testes de diagnóstico da covid-19, mas não os 'kits' de extração, "um dos componentes essenciais à realização dos testes", disse a ministra da Saúde

A ministra da Saúde Marta Temido afirmou que entrega dos kits sem os quais não é possível usar os testes foi adiada e que eles poderão chegar na semana a seguir à Páscoa.

"Recebemos ontem [sábado] um voo com mais de 900 mil testes de diagnóstico e 220 mil zaragatoas. Não recebemos ainda os kits deextração, também necessários à realização dos testes, um dos componentes essenciais à realização dos testes. Estávamos à espera destes kits de extração que ainda não chegaram, cuja entrega foi adiada e que esperamos que se concretize na semana que começa amanhã [segunda-feira]", disse a ministra.

Marta Temido falava aos jornalistas na conferência de imprensa diária da Direção-Geral da Saúde relativa ao ponto de situação da epidemia de covid-19, durante a qual adiantou também que no mesmo voo chegaram "mais um milhão de máscaras cirúrgicas e 700 mil máscaras respiradores, os FFP2".

"Hoje recebemos também um voo com doações diversas. Para esta semana que se vai iniciar está previsto mais um conjunto de novas entregas", acrescentou.

Também atrasada está a entrega de 508 ventiladores que deviam ter chegado a Portugal, vindos da China, no final da última semana.

"Os 508 ventiladores que adquirimos e cuja entrega estava prevista acontecer até ao final desta semana, da qual vos demos conta na semana passada, quando chegaram 144 ventiladores, está atrasada", disse Marta Temido.

"Na China, esta semana os regulamentos sobre transportes mudaram, obrigando a novas autorizações que estamos a diligenciar por obter, que demoraram alguns dias e isso atrasou o transporte sensivelmente oito dias. Iremos mantendo toda a informação atualizada", acrescentou.

A ministra fez ainda um balanço do número de testes de despiste da covid-19 já realizados em Portugal desde o início da pandemia, que se cifram agora em 172.440.

A média diária de testes em Portugal está em 9100, tendo a última quinta-feira, 9 de abril, sido o dia com maior número de testes realizados até à data (11.876), 8% dos quais com resultado positivo.

Os laboratórios públicos são responsáveis por 52% dos testes feito até ao momento.

A ministra agradeceu ainda "o esforço e capacidade de adaptação" da indústria nacional na resposta à pandemia.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registam-se 504 mortos, mais 34 do que no sábado (+7,2%), e 16.585 casos de infeção confirmados, o que representa um aumento de 598 em relação a sexta-feira (+3,7%).

Dos infetados, 1177 estão internados, 228 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 277 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 2 de março, encontra-se em estado de emergência desde de 19 de março e até ao final do dia 17 de abril.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG