Portugal com mais 4935 casos e recorde de 82 mortes em 24 horas

O boletim epidemiológico da DGS indica que há mais 43 pessoas hospitalizadas e mais nove em unidades de cuidados intensivos. Norte tem 58% dos novos casos e mais de metade das mortes.

Há mais 4935 casos e mais 82 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas em Portugal, segundo os dados do boletim da Direção-geral da Saúde (DGS) desta quarta-feira (11 de novembro). É um número recorde de óbitos diários, sendo o máximo anterior de 63, registado na segunda-feira.

No total, desde o início da pandemia, já foram contabilizados 192 172 casos de covid-19 em Portugal e 3103 mortes.

Segundo o boletim desta quarta-feira, há ainda 2785 pessoas internadas (mais 43 do que na véspera), das quais 391 (mais nove) nas unidades de cuidados intensivos. Há menos 956 contactos em vigilância pelas autoridades, havendo ainda 89 107 pessoas que são seguidas.

Há ainda mais 3475 doentes recuperados, com o número de casos ativos a subir 1378, para os 78 716.

É a Norte que os números da pandemia continuam a ser mais graves, com registo de 2845 novos casos (cerca de 58% do total nacional) e 44 mortes.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo há mais 1185 casos no boletim desta quarta-feira e mais 19 mortes. No Centro há mais 743 casos e 17 mortes, tendo os restantes dois óbitos ocorrido no Alentejo, onde há registo de 44 novos casos. No Algarve, há mais 80 casos de contágio confirmado.

Nas ilhas, há registo de mais 21 casos nos Açores e 17 na Madeira.

Das 82 mortes, 65 foram registadas em pessoas com mais de 80 anos, 15 com doentes entre os 70 e os 79 anos, havendo ainda a lamentar uma vítima com idades entre os 60 e os 69 e outra na faixa etária dos 50 aos 59 anos.

Entre os 4935 novos casos, o maior aumento (888) é na faixa etária dos 40 aos 49 anos. Seguem-se 772 novos casos entre os 30 e os 39, 744 entre os 20 e os 29 e 711 entre os 50 e os 59 anos. Entre os mais jovens, há mais 267 casos nas crianças até aos 9 anos e mais 487 nos jovens entre os 10 e os 19. Entre os 70 e os 79 anos há registo de mais 294 casos e mais 307 nas pessoas com mais de 80 anos.

Casos a abrandar no Norte

Apesar de a região Norte ser aquela onde mais casos diários e mortes são detetados, um especialista da Universidade do Porto disse à agência Lusa que a infeção está a "abrandar".

"O cenário central prevê um valor médio próximo de três mil casos diários na região Norte e com eventual possibilidade de começar a haver uma descida no número de casos na próxima semana", sublinhou Óscar Felgueiras, matemático especialista em epidemiologia da Universidade do Porto, considerando "cedo para avaliar" se o "abrandamento no crescimento" é reflexo das medidas implementadas.

Apesar de ser ainda necessária uma "consolidação e avaliação dos dados", os modelos estatísticos indicam que o "pico de infecciosidade já poderá ter passado", isto é, que o momento com o "maior número de início de sintomas na região, eventualmente, já terá passado".

Leia mais aqui

PSD apresentou plano de combate

O PSD quer que todas as pessoas contactadas por uma pessoa infetada sejam testadas em 24 horas. A proposta foi esta manhã avançada pelo deputado (e médico) Ricardo Batista Leite, numa conferência de imprensa para apresentar "as propostas do Conselho Estratégico Nacional para o controlo e gestão da saúde em Portugal no contexto da pandemia COVID-19".

"Portugal não está a fazer o suficiente. A testagem é um elemento crítico sem o qual não há controlo da pandemia", disse o dirigente social-democrata, que salientou ainda a importância de ser dispensável a obrigatoriedade de receita para se fazer um teste. "Identificar, testar e isolar em 24 horas é crítico", insistiu.

Propostas passam ainda por pôr militares a comandar as operações e evacuar lares.

Leia mais aqui

Mais Notícias