Ponte de Lima. Espanhol usou catana para mutilar o companheiro da ex-mulher

Foi uma vingança cruel e trágica. Empresário de imobiliário em Vigo, Carlos, 50 anos, nunca aceitou a separação e perseguiu a ex-mulher até Ponte de Lima para a forçar a assistir ao homicídio, com uma catana, do namorado. Mulheres da terra de onde o casal de vítimas era natural na Galiza concentram-se esta tarde em protesto.

Foram anos de casamento que terminaram há alguns meses e que cujo fim nunca foi aceite pelo homem, o espanhol residente em Vigo que se deslocou a Ponte de Lima para torturar, com uma catana, mutilando os genitais, e matar o atual companheiro da mulher. Suicidou-se depois. Foi uma vingança cruel depois de Carlos Sande, 50 anos, passar os últimos meses a perseguir a ex-companheira. Terá mesmo colocado um geolocalizador na viatura de Nuria, a mulher, para saber por onde ela andava.

Na madrugada de terça-feira, o horror vivido pela mulher de 48 anos durou horas. Carlos terá entrado na habitação por volta da meia-noite e só depois das 07.00 é que a mulher foi assistida pelas autoridades. A noite tinha sido do mais macabro. O homem de 50 anos que passava férias em Portugal com a mulher foi mutilado nos genitais durante um largo de período de tempo. E a mulher foi forçada a assistir. O agressor terá usado uma pequena catana e facas no ato bárbaro.

Depois, abandonou a casa e foi então que a mulher, com as mãos amarradas atrás das costas, com fios elétricos, se refugiou no quintal de uma vizinha. Apavorada. Pelo meio, a GNR era alertada por uma viatura de matrícula espanhola, caída numa ribanceira a poucos metros da casa. Feita a ligação ao casal, os militares, após pedirem reforços, entraram na casa perto das 08.00 e encontraram o corpo chacinado do homem espanhol que passava férias em Gondufe.

A mulher disse depois que tinha sido o ex-marido o autor do crime. Carlos terá atirado o Jeep Cherokee do casal para impedir o seu uso pela mulher ou para despistar as autoridades. Sabe-se agora que pegou no seu BMW e rumou de novo a Vigo, onde se lançou de uma ponte para a ria. O cadáver foi recolhido a meio da manhã.

Traumatizado com a separação

Era um homem que, relata a imprensa galega, mudou de comportamento com a separação. Aos 48 anos trabalhava no setor imobiliário depois de ter sido piloto de helicópteros. Era um homem alto e corpulento, muito conhecido em Vigo, segundo o jornal Atlântico. Quem o conhecia relata que as discussões com a ex-mulher eram frequentes desde que a separação ocorreu.

A perseguição trouxe-o até Portugal nos dias anteriores ao crime. Foi visto pelo menos duas vezes em Gondufe e numa delas manteve uma discussão à porta da cada de turismo rural em que o casal estava alojado. Nuria teria confessado em Ponte de Lima que tinha medo do ex-marido. Segundo foi noticiado, o homem terá mesmo usado um aparelho de geolocalização na viatura da mulher para saber onde ela estava.

O desfecho foi trágico. Carlos não matou a ex-mulher mas obrigou-a a passar pelo pior momento da sua vida. Sequestrada, viu o seu atual companheiro ser assassinado de forma bárbara. Mutilado nos genitais com armas brancas - o agressor chegou a cortar o pénis - este homem de 50 anos teve uma morte horrível.

A investigação policial prossegue para esclarecer os contornos do crime. Fonte da PJ de Braga disse que "as investigações ainda não terminaram", e que na quinta-feira aquela força policial "procedeu à audição da mulher, após ter recebido alta hospitalar".Agora, "as diligências vão prosseguir, independentemente do suspeito se ter suicidado para esclarecer todos os factos", reforçou a fonte.

Concentração de mulheres contra a violência

A mulher, que já teve alta do hospital de Viana do Castelo onde recebeu tratamento a ferimentos ligeiros e recebeu ajuda psicológica. Era natural de Entrimo, uma localidade perto de Ourense, a na Galiza, tal como o atual companheiro, um homem de 50 anos que teve emigrado em França. Residiam agora em Vigo tal como o autor do crime.

Conta o jornal La Region que esta sexta-feira a Associação de Mulheres Rurais de Entrimo irá promover uma concentração, às 19.30, contra a violência de género e de repulsa por este cruel crime.

Mais Notícias