PJ investiga desaparecimento de antigo enfermeiro da seleção nacional

José António da Cruz, conhecido como Marinho, tem 65 anos e foi visto pela ultima vez na segunda-feira, quando saiu do seu turno no hospital de Beja.

A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar o desaparecimento de um enfermeiro de 65 anos na passada segunda-feira, após ter saído de um turno de trabalho no hospital de Beja, disse nesta quinta-feira à agência Lusa fonte policial.

José António da Cruz, conhecido como Marinho, antigo enfermeiro da seleção nacional de futebol, está desaparecido desde a tarde de segunda-feira, "depois de ter terminado a jornada e saído do local de trabalho", no Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do hospital de Beja.

Segundo a mesma fonte, o homem, "depois de ter saído do local de trabalho, onde foi visto pela última vez, não regressou como habitualmente a casa", na aldeia de Penedo Gordo, no concelho de Beja, o que levou a mulher a comunicar ainda na segunda-feira o desaparecimento do marido à GNR.

Na quarta-feira, a GNR, depois de ter efetuado buscas, fez uma difusão do desaparecimento do homem junto do dispositivo policial nacional, o que levou a Diretoria do Sul da PJ a abrir uma investigação ao caso "logo no mesmo dia", explicou a fonte.

"Não há suspeitas da prática de crime, mas também não estão afastadas, e todos os cenários estão em cima da mesa", disse a fonte, referindo que a Diretoria do Sul da PJ, "numa atitude proativa", decidiu abrir a investigação, "por uma questão de cautela" e por haver "alguns contornos que saem um bocadinho do padrão de normalidade".

Marinho, que foi enfermeiro da seleção nacional de futebol durante cerca de 20 anos, atualmente desempenhava as funções de enfermeiro no hospital de Beja e de massagista da equipa de futebol da Associação Cultural e Desportiva de Penedo Gordo.

Mais Notícias