Perigo de nova derrocada em Borba obriga a retirar mergulhadores

Uma semana depois, foram já recuperados dois corpos de dois operários da pedreira. Ainda por localizar estão ainda os veículos particulares que passavam na antiga Estrada Nacional 255 aquando da derrocada que aconteceu.

As operações de busca e resgate na pedreira de Borba foram suspensas. Em causa, segundo fonte da Proteção Civil ao DN, está a falta de segurança e a instabilidade da ravina, embora ressalve que seguem as operações de "vigilância e drenagem".

O Laboratório Nacional de Engenharia Civil considera existir um risco de nova derrocada, por isso, para não colocar a vida dos mergulhadores em perigo ordenou a suspensão das buscas.

Para já perseguem as operações de drenagem do poço da pedreira, mantendo-se no local elementos da Marinha, do Instituto Hidrográfico e da GNR.

Faz esta segunda-feira uma semana que um troço de cerca de 100 metros da estrada que liga Borba a Vila Viçosa, em Évora, abateu arrastando três viaturas (um carro, uma carrinha caixa aberta e uma retroescavadora) para dentro de uma pedreira", fazendo duas vítimas mortais e pelo menos três desaparecidos. Segundo o comandante da Proteção Civil, José Artur Neves, as operações de busca e resgate eram extremamente delicadas e morosas e podiam levar semanas a concluir.

Uma semana depois, foram já recuperados dois corpos de dois operários da pedreira. Ainda por localizar estão ainda os veículos particulares que passavam na antiga Estrada Nacional 255 aquando da derrocada que aconteceu.

Mais Notícias