Morreu um dos feridos na queda de torre de telecomunicações

Funcionário não resistiu aos ferimentos. Tinha 25 anos.

Um dos dois trabalhadores feridos após a queda de uma torre de telecomunicações em Alcabideche, no concelho de Cascais, morreu no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, confirmou à Lusa fonte do Centro Hospitalar Lisboa Norte.

O homem, de 25 anos, encontrava-se com "prognóstico muito reservado" no Hospital de Santa Maria, mas acabou por não resistir aos ferimentos, informou o Centro Hospitalar Lisboa Norte.

Após a queda de uma torre de telecomunicações em Alcabideche, o trabalhador de 25 anos sofreu uma paragem cardiorrespiratória, situação que foi revertida no local pela equipa do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), e foi transportado para o Hospital Santa Maria.

Os dois trabalhadores feridos, dois homens de 24 e 25 anos, encontravam-se em "estado muito grave" e foram transportados para unidades hospitalares em Lisboa, disse à Lusa fonte dos bombeiros.

Segundo os bombeiros, o ferido de 24 anos foi transportado para o Hospital de São Francisco Xavier, em Lisboa.

A fonte explicou que "um dos trabalhadores ficou debaixo da torre e outro na lateral", e que foram retirados com o apoio de equipamento para elevar a estrutura.

No momento da queda, que será analisada pela Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT), "os dois trabalhadores estavam em cima da torre, com altura aproximadamente de 35 a 40 metros", indicou a mesma fonte.

Há ainda registo de um terceiro elemento que teve de receber apoio psicológico, por se encontrar em "estado de choque", adiantou a fonte dos Bombeiros Voluntários de Alcabideche, referindo que não há conhecimento de mais trabalhadores a operar nesta torre de telecomunicações.

De acordo com informação da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, o acidente ocorreu pelas 10:40, mobilizando para o local 19 operacionais de socorro e oito meios terrestres.

Queda da torre também provocou danos materiais

A queda da torre de telecomunicações em Alcabideche provocou danos no edifício onde está assente a antena, num veículo ligeiro e numa casa, mas "não há desalojados", indicou fonte dos bombeiros.

Fonte da Câmara Municipal de Cascais disse que "a torre caiu sobre um muro de uma residência e apanhou também um barco que estava no quintal, e provocou danos em dois veículos ligeiros que estavam estacionados".

Na sequência da queda da torre, a rua Cesaltina Fialho Gouveia, na freguesia de Alcabideche, em Cascais, "esteve cortada das 10:40 até às 14:42", hora a que foram desmobilizados todos os meios do local e a torre foi retirada da estrada, avançou à Lusa o município.

Em comunicado, a Altice Portugal confirmou que a antena de telecomunicações que caiu em Alcabideche "é da sua propriedade", tendo acionado "de imediato" o gabinete de crise para acompanhar a situação, inclusive a abertura de um processo de inquérito e averiguação.

A infraestrutura estava a ser "intervencionada pela Viatel, empresa contratada para a manutenção e revisionamento da mesma", informou a Altice Portugal, assegurando que "todos os trabalhos em curso se encontravam a ser executados debaixo de procedimentos de coordenação de segurança em obra".

A Lusa contactou a empresa Viatel, que se escusou a prestar informações.

Mais Notícias