Migrantes vão hoje a tribunal. Serão alvo de afastamento coercivo

São 22 homens e alegaram ser de nacionalidade marroquina. Estavam indocumentados e ficaram à guarda do SEF.

Os 22 migrantes oriundos do norte de África, que foram ontem detetados ao largo de Quarteira, numa pequena embarcação a motor, serão esta terça-feira presentes ao Tribunal Judicial de Loulé para aplicação de medidas de coação, "com vista à instauração de processos de afastamento coercivo por permanência irregular em território nacional", lê-se no comunicado enviado pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) às redações.

A Polícia Marítima de Faro e a Estação Salva-vidas de Quarteira intercetaram na madrugada desta segunda-feira, por volta das 04:50, 22 homens a bordo de uma embarcação junto a Vale do Lobo.

Segundo a nota da Autoridade Marítima Nacional, os migrantes alegaram ser de nacionalidade marroquina.

O grupo de migrantes esteve durante o dia de ontem à guarda do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, "que desenvolveu os procedimentos necessários para apurar as suas identidades, uma vez que chegaram indocumentados", diz ainda o comunicado.

O grupo acabou por ser transferido durante a noite de segunda-feira para o posto da Guarda Nacional Republicana e esquadras da Polícia de Segurança Pública do distrito de Faro, onde pernoitaram.

Em pouco mais de uma semana, este é o segundo caso envolvendo migrantes alegadamente de origem marroquino que desembarcaram no Algarve. A 6 de junho, as autoridades detetaram uma embarcação com sete homens ao largo de Olhão.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG