Marcelo: "Se for preciso repensar o Natal em família, repensa-se"

Presidente da República não quer dramatizar, mas admite que o Governo possa ordenar várias regras para a semana com vista a combater o aumento de casos de covid-19 em Portugal.

Marcelo Rebelo de Sousa apelou esta sexta-feira em Braga, durante uma visita a um hospital, à consciência de todos os portugueses para futuras medidas que venham a ser adotadas para combater a pandemia de covid-19 a partir de 15 de outubro, dia em que o Conselho de Ministros de reúne.

O Presidente da República deu mesmo como exemplo o Natal deste ano, que face ao aumento do número casos pode ter que ser diferente. "Se for preciso repensar o Natal em família, repensa-se. Não pode ser com 100 pessoas em família, com 60, 50 ou 30. Se for preciso divide-se o Natal pelas várias componentes da família", atirou Marcelo durante uma visita a um hospital de Braga, acrescentando também que "é preciso repensar os programas que se tem com os amigos"

"Quaisquer medidas que venham a ser adotadas, terão de ser cumpridas pelos portugueses. Nenhum de nós quer parar a economia e aumentar o desemprego. Mas é preciso ter consciência e cumprir as regras que venham a ser implementadas. Por isso as pessoas têm um papel fundamental. Não se pode tornar uma coisa obrigatória para milhões de pessoas se elas não cumprirem", acrescentou Marcelo.

"Estamos já no período só comparável em gravidade na pandemia àquele que foi vivido no início da primavera. É um período muito grave", afirmou o presidente da República, quando questionado sobre os mais de mil casos diários de covid-19 registados na quinta-feira.

Na quinta-feira, o Governo já tinha manifestado disponibilidade para rever as medidas necessárias para acompanhar a evolução da pandemia de covid-19, remetendo para a próxima semana a decisão sobre as regras a aplicar na quinzena seguinte.

No briefing do Conselho de Ministros, a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, foi questionada sobre as medidas a tomar no âmbito do combate à pandemia de covid-19.

"Para a semana é o momento de rever o conjunto de regras que aplicamos e que revemos quinzenalmente e os números que estamos a conhecer neste momento são os números que tínhamos previsto até que acontecessem já há alguns dias", começou por responder a ministra.

É nesse quadro de avaliação da evolução que a pandemia tem tido nas últimas semanas que, de acordo com Mariana Vieira da Silva, na próxima semana o Governo vai tomar as decisões necessárias, explicando que neste momento não tem condições de as antecipar uma vez que é preciso fazer avaliações. "A disponibilidade de revisão das medidas é total", garantiu.

Ainda assim, a ministra reiterou que se procurará sempre evitar "um cenário de confinamento total e generalizado" uma vez que o país dificilmente pode viver de novo com essa situação.

Mais Notícias