Mais 613 casos e quatro mortes por covid-19 em Portugal

Segundo o boletim epidemiológico da DGS desta segunda-feira (14 de setembro). Três dos óbitos registaram-se na zona Norte e um na região de Lisboa e Vale do Tejo.

Mais 613 casos e quatro mortes por covid-19 em Portugal, nas últimas 24 horas, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) desta segunda-feira (14 de setembro).

Três dos óbitos registaram-se na zona Norte e um na região de Lisboa e Vale do Tejo.

Desde que a pandemia começou, registaram-se 64 596 infetados, 44 185 recuperados (mais 116) e​ 1871 vítimas mortais no país.

Há, neste momento, 18 450 doentes portugueses ativos a ser acompanhados pelas autoridades de saúde, mais 493 do que ontem. Em vigilância estão 36 758 (+ 360).

A maioria de novos casos continua localizada em Lisboa e Vale do Tejo, Guimarães e Vila Nova de Gaia. "São as zonas do país mais afetadas", disse Graça Freitas na conferência de imprensa. desta segunda-feira

Lisboa e Vale do Tejo é a região que contabiliza mais novos casos e a que lidera no valor total de infeções: são 33 070 (+338).

Seguem-se a região Norte, com 23.411 casos (+178), Centro, com 5279 casos (+51), Algarve regista 1244 casos confirmados (+10) e Alentejo com 1161 casos (+27).

Nos Açores, há 239 casos confirmados, mais um do ontem na Madeira estão confirmados 192 casos (+8).

Regresso às aulas começa hoje com novas regras

As escolas públicas podem começar a abrir portas a partir desta segunda-feira e voltar a receber os alunos do 1.º ao 12.º ano, que regressam ao ensino presencial, interrompido em março devido à pandemia de covid-19.

No novo ano letivo, que começa entre hoje e quinta-feira, professores, estudantes e funcionários vão experienciar uma escola diferente, em relação aos anos anteriores, com um conjunto de regras e normas de funcionamento que foram implementadas para ajudar a manter a escola aberta o máximo tempo possível.

Ao contrário do que aconteceu em março, quando todas as escolas foram encerradas para conter a propagação do novo coronavírus, o ensino presencial vai ser a regra e o encerramento uma medida de último recurso, tomada apenas em situações de "elevado risco", segundo a Direção-Geral da Saúde.

Para isso, o uso de máscaras vai ser obrigatório para todos a partir do 2.º ciclo, o distanciamento físico será, sempre que possível, de pelo menos, um metro e entre os diferentes espaços da escola, que serão higienizados frequentemente, estão definidos circuitos de circulação.

OMS: "Em outubro, novembro, veremos mais mortalidade"

O número de infeções diárias em todo o mundo atingiu um novo recorde no domingo, com 307 930 novas infeções confirmadas, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), citada pela BBC.

Mais de 5500 novas mortes também foram registadas, elevando o total global para 917 417.

Os maiores aumentos nas infeções registaram-se em três países, com 94 372 na Índia, 45 523 nos EUA e 43 718 no Brasil.

A notícia chega na mesma altura em que a OMS alerta que a Europa provavelmente verá um aumento no número de mortes diárias em outubro e novembro.

"Vai ficar mais difícil... em outubro, novembro, veremos mais mortalidade", disse o diretor da OMS para a Europa, Hans Kluge, à agência de notícias AFP hoje.

O número de casos tem aumentado em vários países europeus nas últimas semanas, com Espanha e França tendo os maiores picos.

Mais Notícias