Mais 406 casos e quatro mortes nas últimas 24 horas em Portugal

O boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde indica que os óbitos registados foram todos na região de Lisboa e Vale do Tejo.

Portugal registou 406 novos casos de covid-19 e mais quatro mortes, de acordo com os dados do boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), divulgado nesta sexta-feira (4 de setembro). No total, desde o início da pandemia, o país confirmou 59 457 infetados e morreram 1833 pessoas.

Os quatro óbitos registados nas últimas 24 horas foram todos na região de Lisboa e Vale do Tejo, que tem 194 novos infetados. Na região norte há 152 novos casos, 43 foram confirmados na zona centro, nove registados no Algarve, sete no Alentejo e um na Madeira. Na região autónoma dos Açores não se registaram casos nas últimas 24 horas.

O boletim da DGS revela ainda que há 339 doentes internados, mais cinco do que em relação ao dia anterior, havendo menos quatro pessoas nos cuidados intensivos, num total de 40.

O boletim epidemiológico revela ainda que Portugal tem o registo de 149 casos de pessoas recuperadas, totalizando 42 576.

Graça Freitas revela plano de contingência no regresso às aulas

Graça Freitas, diretora-geral da Saúde, falou esta sexta-feira sobre o regresso às aulas e garantiu que há todo um processo que está previsto quando um aluno tiver sintomas suspeitos de covid-19. "Apelamos aos pais para que não levem as crianças com sintomas para a escola", começou por dizer.

"Se houver uma criança com sintomas, os pais devem ligar o SNS24 para que seja feita a triagem. Se for considerado um caso suspeito, os pais devem então avisar a escola e esta deve avisar a autoridade de saúde, que irá testar a criança com sintomas. Além disso, tem de fazer um inquérito rápido a alunos que tiveram contacto com a criança suspeita para saberem se devem ficar em casa em isolamento profilático, que será levantado se tiver teste negativo", explicou a diretora-gerala da Saúde.

Certo é que o objetivo é "fechar o menos possível as escolas do ponto de vista físico". "Poderá haver o encerramento físico de uma sala, de uma aula ou até da escola em situações extremas, mas isso não implica interrupção obrigatória do ano letivo", garantiu Graça Freitas.

Aquisição de testes rápidos à covid-19 depende da fiabilidade

Jamila Madeira, secretária de Estado adjunta da Saúde, admitiu que Portugal poderá adotar em breve os testes rápidos à covid-19, recentemente criados em Israel, "desde que sejam cumpridos os parâmetros exigidos" e "comprovados" pelas entidades competentes na avaliação deste tipo de testes.

Graça Freitas lembrou a este propósito que Portugal "tem estado na vanguarda" na adoção de testes à covid-19, mas sublinhou que os resultados desses testes "têm de ser devidamente comprovados cientificamente e absolutamente fiáveis". "Se as provas forem boas e se os testes estiverem disponíveis no mercado, podemos adquiri-lo para nos ajudar na deteção de novos casos", sublinhou.

A secretária de Estado Adjunta e da Saúde anunciou entretanto que está confirmada a chegada antecipada das primeiras mais de 100 mil doses da vacina da gripe, o que permite um "melhor planeamento da distribuição da vacina". Num total serão "dois milhões de vacinas da gripe", sublinhou. Sobre a campanha de vacinação, Graça Freitas realçou a capacidade de agora poder ser iniciada a vacinação antecipadamente, em relação a anos anteriores, estando disponíveis 600 mil doses de vacinas. Na prática, a antecipação "será de uns dias" e no grupo de administração gratuita estarão agora as grávidas e profissionais de lares.

Arouca regista mais 12 casos ativos

A situação no município de Arouca continua a inspirar cuidados, uma vez que o concelho informou esta sexta-feira que foram registados mais 12 casos de testes positivos que no dia anterior, estando neste momento 171 pessoas infetadas.

Este surto começou no lar da Casa do Povo de Santa Cruz de Alvarenga. Este concelho teve desde o início da pandemia um total de 234 diagnósticos de covid-19, sendo que 57 pessoas foram consideradas como recuperadas da doença. Há ainda a registar seis mortes no concelho devido à pandemia de covid-19.

Graça Freitas revelou entretanto que existem seis surtos em lares de idosos na zona norte do País e 17 na região de Lisboa e Vale do Tejo. As regiões do centro, Alentejo, Algarve, Madeira e Açores não apresentam qualquer caso.

Mais de 869 mil mortos em todo o mundo

A pandemia do novo coronavírus já causou a morte de pelo menos 869.718 pessoas e infetou mais de 26,3 milhões em todo o mundo desde dezembro, segundo um balanço da agência AFP baseado em dados oficiais.

De acordo com os dados recolhidos pela agência francesa de notícias, já morreram pelo menos 869.718 pessoas e há 26.366.810 infetados em 196 países e territórios desde o início da epidemia de covid-19, em dezembro de 2019, na cidade chinesa de Wuhan.

Pelo menos 17.298.800 casos foram considerados curados pelas autoridades de saúde.

A AFP adverte que o número de casos diagnosticados reflete apenas uma fração do total real de infeções, já que alguns países estão a testar apenas casos graves, outros usam o teste como uma prioridade para rastreamento e muitos países pobres têm apenas capacidade limitada de rastreamento.

Nas últimas 24 horas foram registadas 5.871 novas mortes e 278.631 novos casos em todo o mundo. Os países que registaram o maior número de novas mortes são a Índia (1.096), os Estados Unidos (1.029) e o Brasil (834).

Os Estados Unidos são o país mais afetado em termos de mortes e casos, com 186.806 mortes para 6.151.101 casos, de acordo com um balanço da Universidade Johns Hopkins. Pelo menos 2.266.957 pessoas foram declaradas curadas.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil com 124.614 mortes e 4.041.638 casos, Índia com 68.472 mortes (3.936.747 casos), México com 66.329 mortes (616.894 casos) e o Reino Unido com 41.527 mortes (340.411 casos).

A China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau) contabilizou oficialmente um total de 85.102 casos (25 novos entre quinta-feira e hoje), incluindo 4.634 mortes (nenhuma nova) e 80.263 recuperações.

A América Latina e as Caraíbas totalizaram 285.469 mortes e 7.612.884 casos, Europa 217.285 mortes (4.099.668 casos), Estados Unidos e Canadá 195.982 mortes (6.281.343 casos), Ásia 102.164 mortes (5.522.626 casos), Médio Oriente 37.404 mortes (1.543.088 casos), África 30.631 mortes (1.277.479 casos) e Oceânia 783 mortes (29.724 casos).

O balanço foi realizado a partir de dados recolhidos pelas delegações da AFP junto das autoridades nacionais competentes e de informações da OMS.

Devido a correções feitas pelas autoridades ou publicação tardia dos dados, os números do aumento de 24 horas podem não corresponder exatamente aos publicados no dia anterior.

Portugal, de acordo com o último relatório da Direção-Geral da Saúde (DGS), contabiliza 1.829 mortos associados à covid-19 em 59.051 casos confirmados de infeção.

Com Lusa

Mais Notícias