Portugal com mais de mil casos pelo segundo dia consecutivo

No boletim desta sexta-feira há registo de mais 1394 casos de covid-19 e mais 12 mortes em 24 horas. Há mais dez internamentos e 647 recuperados.

Portugal registou mais 1394 casos de covid-19 nas últimas 24 horas, o segundo dia com mais casos desde o início da pandemia, depois dos 1516 registados a 10 de abril. É a primeira vez que há dois dias seguidos com mais de mil casos, tendo sido registadas 1278 novas infeções na quinta-feira.

De acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) desta sexta-feira (9 de outubro) morreram ainda mais 12 pessoas por causa do novo coronavírus.

O número total de infetados desde o início da pandemia é de 83 928 e o de mortes é de 2062. Há mais dez internamentos nas últimas 24 horas, para um total de 811, e mais dez pessoas nos cuidados intensivos. São agora 125.

Há mais 647 recuperados, num total de 52 164, com o número de casos ativos em todo o país a ser de 29 702 (mais 735 desde o boletim de quinta-feira). Há 47 721 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde, mais 1539 que na véspera.

O maior aumento de casos regista-se na região Norte (689), seguindo-se a região de Lisboa e Vale do Tejo (mais 559). Há ainda mais 96 no Centro, 31 no Algarve e 11 no Alentejo. Na Madeira há mais cinco casos e nos Açores são mais três.

Em relação às 12 mortes registadas em 24 horas, oito ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, três no Norte e uma no Centro. As vítimas são dez do sexo feminino e duas do sexo masculino. Todas as vítimas têm mais de 80 anos, exceto uma mulher na faixa etária dos 60 aos 69.

O secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, tinha antecipado nesta quinta-feira o cenário de mais de mil infeções diárias, o que acabou por acontecer no boletim de ontem, com 1278 infetados - era o segundo com mais infeções reportadas desde o início da pandemia, até aos dados desta sexta-feira.

Havia por isso alguma expectativa para saber se os números desta sexta-feira mantinham a tendência esperada ou se oscilavam, como tem acontecido na última semana (casos vão desde os 427 aos 1278).

122 escolas de 66 municípios com infetados

Segundo a FENPROF foram detetados casos confirmados de covid-19 em pelo menos 122 escolas (106 públicos e 16 privados) de 66 municípios. O sindicato estranha por isso as contas da Direção-Geral de Saúde, que apenas identifica 23 surtos em escolas do país, acusando a DGS de não respeitar "o que dispõe o documento Referencial para as escolas 2020".

"Embora com medidas distintas entre escolas, por norma, a pessoa infetada é colocada em isolamento profilático, mas todos os que, com ela, partilharam espaços continuam a deslocar-se às escolas, sem que seja realizado qualquer teste. Assim, quando surgem casos de covid-19, a norma tem sido a não realização de testes, pedindo-se, apenas, a que cada um esteja atento à eventualidade de serem desenvolvidos sintomas sugestivos de estar infetado", alerta a FENPROF, denunciando "a discriminação" e "aligeiramento do problema".

O Sindicato liderado por Máruo Nogueira exige mesmo do Ministério da Educação garanta a adoção de procedimentos padronizados para todos os concelhos do país.

Mortes em lar de Bragança sobem para cinco. Há ainda 123 casos ativos

Portugal tem cerca de 300 surtos ativos, sendo que cerca de 50 são em lares. O caso de Bragança o que mais preocupa as autoridades nesta altura, com 123 ativos e cinco mortes. A última morte aconteceu nas últimas 24 horas. Trata-se de uma mulher de 95 anos.

No total, há, ainda, 97 utentes e 26 funcionários infetados no lar da Santa Casa da Misericórdia de Bragança. O surto, conhecido há três semanas levou à testagem de quase 700 pessoas.

O aumento de casos em lares e instituições de saúde levou o governo a criar brigadas de intervenção rápida para suprir a falta de funcionários e dar melhor resposta às necessidades de funcionamento dos lares, mas o projeto tem sido muito criticado, por ser "ineficaz", segundo alguns diretores de lares.

Número de infetados a nível mundial perto dos 37 milhões

O novo coronavírus já infetou mais de 36 802 545milhões de pessoas no mundo inteiro e provocou 1 067 551 mortes, segundo o site Worldmeters (que reúne dados oficiais a nível mundial). Há agora 27 696 565 milhões de recuperados.

No total, os Estados Unidos da América são o país com a maior concentração de casos (7 834 289). Segue-se a Índia (6 906 151), o Brasil (5 029 539) e a Rússia (1 272 238). Portugal surge em 49.º lugar na tabela de casos a nível mundial.

Quanto aos óbitos, depois dos Estados Unidos (217 750), o Brasil é a nação com mais mortes declaradas (149 034), seguidos da Índia (106 521) e do México (83 096).

Mais Notícias