Intervenções dos peritos na reunião do Infarmed voltam a ter transmissão aberta

Reunião desta quinta-feira terá como temas centrais a eventual prorrogação do estado de emergência, um balanço das medidas tomadas até agora e a tendência da evolução da covid-19 no país

As intervenções dos peritos na primeira parte da reunião sobre a evolução da covid-19 em Portugal, na quinta-feira, no Infarmed, em Lisboa, voltam a ter transmissão em aberto, como aconteceu em setembro no Porto.

Esta informação sobre o modelo daquela que será a 12.ª reunião que junta políticos, especialistas e parceiros sociais para analisarem a situação epidemiológica do país foi avançada à agência Lusa por fonte do Governo.

A reunião desta quinta-feira terá como temas centrais a eventual prorrogação do estado de emergência, um balanço das medidas tomadas até agora e a tendência da evolução da covid-19 no país.

Portugal está novamente, desde o passado dia 09 e até às 23:59 da próxima segunda-feira, em estado de emergência, ao abrigo do qual o Governo impôs medidas como a proibição de deslocações nos concelhos com maior taxa de incidência de novos casos de infeção entre as 23:00 e as 05:00 nos dias de semana e a partir das 13:00 no anterior e no próximo fim de semana.

Para renovar este quadro legal, que permite a suspensão do exercício de alguns direitos, liberdades e garantias, com a duração máxima de 15 dias, o Presidente da República tem de ouvir o Governo e de ter a aprovação do parlamento.

Estas reuniões, que surgiram por iniciativa do primeiro-ministro, com um objetivo de partilha de informação, começaram no dia 24 de março e decorreram até 08 de julho, em dez sessões no auditório do Infarmed - Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos da Saúde -, em Lisboa, inicialmente semanais e depois de periodicidade quinzenal.

Depois de terem estado interrompidas durante dois meses, foram retomadas a 7 de setembro, na Faculdade de Medicina da Universidade de Porto, onde, pela primeira vez, as intervenções dos especialistas tiveram transmissão aberta, seguindo-se uma nova interrupção de cerca de dois meses.

Mais Notícias