Exército forma 260 militares para ajudarem na desinfeção

Nas últimas semanas, equipas das Forças Armadas, do Elemento de Defesa Biológica e Química do Exército, têm vindo a fazer a descontaminação, por exemplo, de lares de idosos onde se identificaram casos positivos de covid-19.

O Exército está a formar 52 equipas de desinfeção, que envolvem 260 militares, para ajudar no combate à pandemia de covid-19, foi esta terça-feira anunciado.

A formação está a ser feita nos Regimentos de Engenharia n.º 1, em Tancos (distrito de Santarém), e n.º 3 em Espinho (Aveiro) e abrange 260 pessoas, de 30 unidades, estabelecimentos e órgãos militares de todo o país, lê-se num comunicado do Exército.

O objetivo é o Exército "reforçar a sua capacidade de resposta a apoios que venham a ser solicitados em determinadas infraestruturas, no âmbito do combate à pandemia" de covid-19, acrescenta o comunicado.

Nas últimas semanas, equipas das Forças Armadas, do Elemento de Defesa Biológica e Química do Exército, têm vindo a fazer a descontaminação, por exemplo, de lares de idosos onde se identificaram doentes com o novo coronavírus, como aconteceu em Resende (Viseu) e Vila Real, entre outras infraestruturas.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já provocou mais de 120 mil mortos e infetou mais de 1,9 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registam-se 567 mortos, mais 32 do que na segunda-feira (+6,%), e 17.448 casos de infeção confirmados, o que representa um aumento de 514 (+3%).

Mais Notícias