Detido suspeito de rapto e homicídio do rapper Mota Jr.

Indivíduo de 26 anos indiciado pela indiciada prática de crime de rapto, roubo e homicídio do rapper Mota Jr. em março deste ano

A Polícia Judiciária anunciou nesta quarta-feira, através da Unidade Nacional contra Terrorismo, que procedeu durante terça e quarta-feira ao cumprimento de dez mandados de busca domiciliária e de um mandado de detenção fora de flagrante delito, de um indivíduo de 26 anos, pela indiciada prática de crime de rapto, roubo e homicídio do rapper Mota Jr. em março deste ano.

Esta operação policial foi desencadeada no âmbito de inquérito titulado pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Sintra.

O arguido será sujeito nesta quinta-feira ao primeiro interrogatório judicial, tendo em vista a aplicação de medida de coação.

David Mota, conhecido no mundo da música rap portuguesa como Mota Jr., foi encontrado morto em Sesimbra durante o mês de maio, dois meses depois de ter sido dado como desaparecido. O cadáver estava em avançado estado de decomposição e só foi identificado um dia depois.

Ca Bu Fla Ma Nau, com Piruka, foi o maior sucesso da carreira de Mota Jr, que fazia rimas em crioulo.

O rapper de 28 anos estava desaparecido desde 15 de março. Na altura, foi noticiado que David Mota teria sido sequestrado à porta de casa, em São Marcos, Cacém, no concelho de Sintra. Segundo foi então avançado, teria recebido uma chamada telefónica para descer até à porta do prédio, quando era 01.00.

No programa da TVI A Tarde É Sua, em abril, Filomena Mota, mãe do músico, disse que o filho foi recebido por dois indivíduos armados que o levaram. A mãe revelou que David teria uma bolsa com pertences, entre eles, a chave de casa, quando foi raptado. Terá sido assim que os assaltantes tiveram acesso às chaves para entrar na habitação.

David Mota era o mais novo de três irmãos.

Mais Notícias