Bares e discotecas em "situação dramática" entregam manual de boas práticas

A associação da restauração e similares propõe um guia de boas práticas para a abertura da animação noturna. Justifica que os bares e discotecas estão fechados há quatro meses e que a situação é dramática.

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) "apresentou à tutela uma proposta de Guia de Boas Práticas para a Animação Noturna (Bares e Discotecas) atendendo à especificidade destas duas atividades", escreve em comunicado. Defende que é urgente a reabertura destes espaços e aguarda que o Ministério da Economia e a Direção-geral da Saúde aprovem as suas propostas.

Se a reabertura não for viável, as autoridades devem criar um programa de descriminação positiva "no sentido de proporcionar condições económico-financeiras que permitam evitar insolvências em massa com as consequências previsíveis, designadamente ao nível do mercado de trabalho".

Explica que a situação dos bares e discotecas é "verdadeiramente dramática". "Encerrados e sem data definida para a reabertura vivem com completa ausência de receitas e já não conseguem solver todos os seus compromissos. Situação que ameaça encerramentos e milhares de despedimentos", descreve.

A AHRESP, reconhece os riscos sanitários com a covid-19 e concorda com a exigência de condições de segurança específicas para que os estabelecimentos de animação noturna possam abrir as portas.

Mais Notícias