ASAE apanhou vinho, máscaras e... toneladas de massa de tomate

Numa operação que pretendia sensibilizar as empresas para a importância das condições de transporte, sobretudo de produtos alimentares, a maior apreensão aconteceu na zona de Santarém: 20 toneladas de massa de tomate e pimentão, transportadas sem controlo de temperatura

Foram 25 horas de fiscalização que começaram ontem, às 19 horas, no sul do país, e só terminaram esta quinta-feira, às 20 horas, a norte. Um total de 130 inspetores distribuídos por 52 pontos em todo o território nacional deram corpo a uma grande operação da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE). "A maior apreensão aconteceu na zona de Santarém: 20 toneladas de massa de tomate e pimentão, que eram indevidamente transportadas sem controlo de temperatura", revelou ao DN fonte daquele órgão de polícia criminal.

Ao final do dia os inspetores da ASAE contabilizavam 2500 viaturas fiscalizadas e 25 processos de contraordenação instaurados. Além das 20 toneladas daquele ingrediente, foram ainda apreendidas algumas centenas de garrafas de vinho, azeite, e cerca de 70 kg de carne. Em causa esteve sempre as condições de higiene e controlo de temperatura utilizados no transporte.

O objetivo desta ação - que a ASAE realiza periodicamente nos últimos anos - prende-se com a sensibilização para as condições de transporte de mercadorias, sobretudo na área alimentar. Porém, ao longo do dia os inspetores acabariam por apreender também algumas centenas de máscaras "por rotulagem indevida", revelou a mesma fonte.

Aliás, desde que começou a pandemia que a ASAE tem encontrado várias irregularidades a esse nível, até porque atualmente é uma das mercadorias que mais circula nas estradas do país, como de resto reconheceu o secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, João Torres, que acompanhou uma das ações desta manhã, na Ponte 25 de abril.

"A ASAE no ano de 2020 tem tido um papel absolutamente decisivo na fiscalização de um conjunto de matérias que surgiram e que decorrem da pandemia que enfrentamos", disse o governante aos jornalistas.

De acordo com as informações mais recentes, nos últimos meses foram fiscalizados 1700 operadores da área económica, tendo sido aplicadas quase 300 contraordenações devido a incumprimentos no âmbito da pandemia, como a falta de cumprimento de requisitos em máscaras comunitárias ou a disponibilização de álcool-gel sem a necessária autorização da autoridade competente.

Mais Notícias