Vacinação na Sérvia

Na Sérvia, a vacinação contra a covid-19 teve início a 24 de dezembro de 2020, sendo o terceiro país da Europa (depois da Grã-Bretanha e da Suíça) a iniciar o processo, que, a 19 de janeiro de 2021 já tinha adquirido um carácter massivo. Os primeiros a receber a vacina foram os considerados mais vulneráveis: pessoal médico, utentes dos centros de gerontologia, polícia, exército, jornalistas, corpo diplomático e pessoas com mais de 70 anos.

As primeiras quantidades da vacina, da Pfizer-BioNTek, chegaram à Sérvia a 22 de dezembro de 2020. Desta forma, a Sérvia foi o segundo país da Europa (depois da Grã-Bretanha) a fornecer este tipo de vacina, e, em janeiro de 2021, chegou uma remessa da China de um milhão de vacinas da Sinopharm (19.01) e 40 mil doses da Sputnik V, da Rússia (29.01).

Durante o mês de fevereiro de 2021, com grande empenho das autoridades sérvias, chegaram as seguintes vacinas: Sinopharm - 500 mil; Sputnik V - 200 mil; AstraZeneka - 150 mil (a Sérvia é o primeiro país dos Balcãs a fornecer esta vacina); Pfizer-BioNTek - 87 750. A 15 de fevereiro, cientistas sérvios e russos elaboraram um plano para a produção da vacina Sputnik V na Sérvia.

Em março, a Sérvia adquire as seguintes quantidades de vacinas: Sinopharm - 500 mil; Pfizer-BioNTek - 100 459; Sputnik V - 100 mil. Durante uma visita oficial a Berlim, a 4 de março, o ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, Heiko Maas, assegurou ao homólogo sérvio, Nikola Selaković, que a Sérvia receberia 300 mil vacinas do programa Covax, contudo, embora a Sérvia tenha sido o primeiro país da região a pagar os fundos necessários, até à data não chegou qualquer vacina desse programa. Durante uma visita aos Emirados Árabes Unidos, o presidente sérvio, Aleksandar Vučić, acordou com os anfitriões e a China a produção conjunta de vacinas da Sinopharm (a partir de 15 de outubro deste ano) e anunciou que duas fábricas sérvias produziriam entre 30 e 40 milhões de doses da Sinopharm e da Sputnik V, pelo que a Sérvia será, sem dúvida, o país líder da região no que se refere à produção de vacinas.

No início de abril, chegarão outras 500 mil doses de vacinas da Sinopharm e 106 470 doses da Pfizer-BioNTek.

Mil e trezentos membros do corpo diplomático inscreveram-se e foram vacinados gratuitamente. A Sérvia também forneceu vacinação gratuita à população do Kosovo e Metohija, inclusive aos cidadãos de países vizinhos: da Macedónia do Norte, do Montenegro e da Bósnia e Herzegovina, especialmente da República Srpska (por exemplo, todo o Tribunal Constitucional da Bósnia e Herzegovina recebeu vacinas na Sérvia e foram registadas filas de carros provenientes de Sarajevo, com pessoas que queriam ser vacinadas na Sérvia), tendo existido grupos de pessoas que vieram da Croácia e até da Albânia para receber vacinas.

Todos os migrantes foram igualmente vacinados (24 de março), facto pelo qual a chefe do Escritório do ACNUR na Sérvia, Francesca Bonelli, expressou a sua profunda gratidão. A primeira-ministra sérvia, Ana Brnabić, afirmou que vacinar as pessoas na região é uma forma de aumentar a segurança sanitária comum, "porque sem segurança na região as pessoas não estão seguras na Sérvia".

A propósito, a civilização europeia assenta em três pilares: filosofia grega, direito romano e cristianismo. A velha máxima que, por sua vez, sublima todos os três pilares, em termos de ética e humanidade: a salvação do povo é a lei suprema - Salus populi suprema lex esto.

Embaixador da Sérvia para Portugal

Mais Notícias

Outras Notícias GMG