O PSD em rota de colisão

O PSD está em rota de colisão. Não sei se vai ficar melhor ou pior, o que sei é que o PS agradece. Está em rota de colisão com ele próprio, está em rota de colisão pela sua definição, está em rota de colisão do que deseja no futuro.

Rui Rio não devia ter sugerido adiar eleições internas, por o OE2022 ser aprovado ou não e, por isso, haver eleições antecipadas. Primeiro o OE pode não ser aprovado e não haver eleições antecipadas, depois o OE ainda não foi rejeitado na totalidade. Na política o bluff cada vez mais parece um jogo.

Rui Rio preocupa-se de mais com o país e de menos com o PSD. Perdeu essa votação no Conselho Nacional e isso pode ser um élan para o apear do poder. Foi um erro de cálculo que lhe pode ter sido fatal.

Noutro registo, fez-me lembrar quando António José Seguro tinha o aparelho do PS sob controlo e aprovou eleições directas em que podiam votar simpatizantes e assim António Costa o venceu.

Os militantes do PSD querem é poder e não o têm há muito tempo, o resto pouco lhes interessa.

As eleições no PSD estavam marcadas e assim deveriam manter-se, como por fim aconteceu. Se o OE2022 é aprovado ou não, isso é um problema do PS, do PCP, do BE e recentemente do PAN. Se o governo não tiver o OE aprovado isso não é problema do PSD. Aliás, se tivermos memória o PSD via Passos Coelho venceu as eleições e António Costa engendrou uma saída mesmo não sendo o mais votado.

Porém, não me acredito que o PCP e o BE inviabilizem o OE2022, pois perdem toda a sua influência no governo via aprovação de propostas suas e os portugueses não querem crises, querem é que a sua vida lhes corra.

Inteligentemente António Costa viu que o preço da gasolina ia voltar a subir e baixou o imposto. Porquê? Porque isso mexe com os bolsos dos portugueses que têm como desporto nacional - andar de carro.

O PSD está em convulsão e não me acredito que fique melhor, isso só acontecerá se ascender ao poder e não me parece a curto prazo.
As eleições no PSD não vão resolver nada, pode mudar Rui Rio por Paulo Rangel.

Se houver eleições antecipadas não vão resolver o problema do PSD - não ser poder e ter lugares para distribuir.

António Costa é genial na arte de inventar, reinventar e enganar.

Não nos podemos esquecer que o PS é poder e tem imensos lugares distribuídos que influenciam imensas decisões e ainda há lugares para distribuir.
Rui Rio, por vezes, tem erros de casting na escolha de pessoas que mais tarde, se tornam seus inimigos e seus adversários.

Rui Rio é perito em fazer escolhas que no futuro se tornam diabólicas para si. Escolheu Rui Moreira e agora nem se falam e é seu inimigo feudal. Rui Rio escolheu Paulo Rangel para encabeçar a lista do PSD ao Parlamento Europeu e agora vai concorrer contra ele.

Como dizem os alemães Schadenfreude (sentimento de alegria ou satisfação perante o dano ou infortúnio de um terceiro), é isto que o PS está a sentir neste momento, em relação ao PSD.

O PS vai continuar na sua táctica do salame, fatia a fatia em pequenas concessões e terá o OE 2022 aprovado.

O PSD vive sempre na miragem de um D. Sebastião depois da morte de Sá Carneiro, mas isso não acontecerá. Passos Coelho levou-os ao poder e foi maltratado, Rui Rio aguentou o partido e vai ser desafiado, isso não quer dizer que seja derrotado. Antes, Sá Carneiro levou-os ao poder e foi muito contestado, assim como Cavaco Silva e Durão Barroso que percebeu isso e "emigrou" para a Europa.

O PSD é assim e vai continuar assim. O PSD é o partido mais português de todos, por isso, tem enormes qualidades e muitos defeitos. Os portugueses nunca estão satisfeitos com o que têm.

Biólogo, fundador do Clube dos Pensadores

Mais Notícias

Outras Notícias GMG