O engenho em tempos de pandemia

Em março, quando surgiram os primeiros casos de COVID-19, em Portugal, adotámos rapidamente o teletrabalho, mas ingenuamente tínhamos a esperança de que tudo estaria terminado rapidamente. Tínhamos até uma feira em abril que foi adiada para setembro.

Não podíamos estar mais errados. Já passou quase um ano e a situação pandémica não só persiste, como está com valores de novas infeções cem vezes piores do que no início.

Pelo caminho, como seres humanos que somos, fomos-mos adaptando a um novo normal. A pandemia afetou a nossa vida profissional, pessoal e social. A nível económico está a criar fortes perturbações, no entanto, como sempre em situações de crise, há setores a prosperar e novas oportunidades a surgirem. Pessoalmente acredito que o engenho humano tem sido o nosso motor de desenvolvimento enquanto espécie. E, nesta situação não será diferente, será a tecnologia e a ciência que nos vão ajudar a sair desta pandemia.

Talvez o mais falado tenha sido o desenvolvimento em tempo recorde de vacinas com tecnologia de mRNA. Esta técnica inovadora cria uma mensagem genética que ensina o nosso corpo a fabricar partes do vírus com o fim de treinar o sistema imunitário. Uma espécie de "manual de como identificar e matar um SARS-CoV-2" para o nosso organismo. Um feito extraordinário e naturalmente merecedor de toda a atenção. Mas, esta guerra não se limita a uma bala de prata que, embora esteja a ser desenvolvida em tempo recorde, tarda, ainda, a ser distribuída por toda a população mundial. Outras armas são necessárias para combater este vírus até que a imunidade de grupo seja alcançada.

Outra tecnologia que está em franco desenvolvimento e onde muitos fabricantes estão a colocar esforços são os LED de ultravioleta tipo-C (LED UV-C). Este tipo de dispositivo emite uma luz invisível para o ser humano, mas que tem a propriedade de matar vírus e bactérias incluindo naturalmente o SARS-CoV-2.

Já há muito tempo que são conhecidas as propriedades germicidas da luz ultravioleta. Mas, até muito recentemente, a forma mais comum de produção dessa luz era recorrendo a lâmpadas florescentes convencionais. Com o aparecimento do LED UV-C, à semelhança do que aconteceu com a luz branca, abre-se um novo caminho de oportunidades e aplicações no campo da desinfeção.

No campo das aplicações do LED UV-C podemos pensar na limpeza do ar, reduzindo a carga viral suspensa. Na esterilização de superfícies e objetos e também no tratamento de água.

Imagine-se que se tem este tipo de dispositivos em lares, nas escolas, hospitais, escritórios, ou mesmo em casa. Ou, por exemplo, que temos uma caixa onde podemos colocar os nossos objetos pessoais e que, ao fim de uns segundos, estão totalmente desinfetados.

É realmente interessante sabermos que temos uma luz invisível que está a cuidar de nós e ativamente a matar a possível carga viral. É mais uma arma poderosa fruto do nosso engenho que nos irá ajudar a combater esta pandemia. E, se o LED UV-C tiver um desenvolvimento semelhante ao LED branco, é de esperar que muito em breve teremos luz UV-C em todo o lado (casa, escritório, hospitais e outros) a velar pela nossa saúde.

A humanidade foi claramente apanhada de surpresa com este vírus. E, segundo os especialistas, era um desastre anunciado e outros poderão estar ao virar da esquina. Mas, se há um lado positivo nesta crise é o desenvolvimento e aperfeiçoamento de todos estes mecanismos de defesa. Quando aparecer a próxima estaremos seguramente mais bem preparados.

ARQUILED CEO

Mais Notícias

Outras Notícias GMG