Nuestros hermanos ou nossos inimigos?

De Espanha, nem bom vento nem bom casamento. E é bem verdade. O El País tem dito muito mal do nosso país, quando em Espanha já há quase três milhões de infectados! Pelos vistos, não lhe serve a tragédia em que o país vizinho está mergulhado para tema de reportagem. Estranhamente, preocupa-se mais com Portugal, mas o certo é que a última peça está totalmente desactualizada, pois a situação no nosso país melhorou consideravelmente, enquanto a de Espanha piorou bastante.

Costumamos chamar aos espanhóis nuestros hermanos, mas eu faço a pergunta: nuestros hermanos ou nossos inimigos? As reportagens do El País têm um intuito claro: achincalhar Portugal para dizer que a Espanha é boa!

Mas como se fosse possível ir-se na conversa do El País, porque, como é sabido, o país vizinho tem vivido, desde o início da pandemia, momentos dramáticos e nós ainda tivemos o que a Europa chamou o 'milagre português'.

A primeira dessas reportagens, que provocou enérgico protesto das nossas autoridades, dizia, imagine-se, que havia três milhões de confinados em Lisboa, o que nunca podia ser verdade, porque a Grande Lisboa tem 2 ou 2,5 milhões, não chegando aos três milhões de habitantes. Uma notícia à Correio da Manhã sendo um pouco insólita dado que o El País tem fama de ser um jornal de referência. O proveito é que, a avaliar pelo que publica sobre nós, talvez não tenha.

Comparáveis a estas mentiras do país vizinho, só as diatribes dos ingleses, que ora nos riscam, ora nos colocam na lista dos países bons para viajar. Não dá para entender. Dir-se-á que aplicaram a palhaçada do Brexit a Portugal! Dos ingleses, aliás, tal como dos espanhóis, nem bom vento nem bom casamento. Basta referir que não respeitam o Tratado de Windsor, celebrado entre Portugal e a Inglaterra e que é a mais velha aliança do Mundo, com mais de seis séculos! E que no Tratado de Metween só faziam o que lhes convinha, no que foi acordado com o nosso país. E last but not the least, como eles dizem, no Mundial de futebol em 1966, obrigaram a selecção portuguesa a uma viagem de autocarro de noite, desde Manchester até Londres. Para ganharem mais facilmente, atendendo à fadiga da nossa equipa, provocada pela viagem. E mesmo assim tiveram grandes dificuldades em vencer.

Para os que dizem, quiçá injustamente, que o nosso país é corrupto, é bom que se atente nestas práticas dos ingleses e espanhóis. Portugal nunca faria o que, maldosamente, nos fazem! A questão é de honra e princípios.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG