Chame-se o vice-almirante, convoque-se o Infarmed?

Porque será que os Portugueses querem de volta o Vice-Almirante?

Por ser militar? Seguramente que não!

Então porque será?

Simplesmente, porque os portugueses observaram, de forma continuada e, consistente o exercício de competências comportamentais e técnicas que definem o que é um LIDER.

Determinação - Sentido de Urgência - Comunicação Assertiva - Focos nos Resultados - Proactividade - Planeamento e Organização e, conhecimento da ciência Logística.

O exercício público e notório, destas competências, por parte do LIDER , fez com que os Portugueses acreditassem e, se comprometessem com o atingimento dos objetivos estabelecidos .

Resultado. Portugal partilha o pódio com Singapura com uma taxa de vacinação de 87,78% (duas doses) . (dados de 15/11/2021 do https://ourworldindata.org/covid-vaccinations)

Se tivermos em linha de conta que Singapura, tal como Taiwan são os países com mais experiência no combate à pandemia, o resultado atingido por Portugal é UM ESTRONDOSO SUCESSO!

Este sucesso é o resultado de uma combinação muito simples. A existência de um LIDER e uma equipa motivada e comprometida (os Portugueses) .

São muitos os exemplos, em todo o mundo e, em diferentes atividades onde casos únicos de sucesso tem a autoria ou participação de portugueses. Este é um facto inquestionável.

Então porque razão se quer o regresso do Vice-Almirante?

Primeiro, porque não é Líder quem quer.

Segundo, não se é líder por nomeação. Veja-se o que aconteceu ao anterior "líder" responsável pelo processo de vacinação. Entre muitos outros " exemplos " todos se recordam do desentendimento entre a PSP e GNR na entrega das vacinas , situação transmitida em directo pelas Televisões.

Terceiro, será que neste momento os Portugueses, sabem quem é Líder do processo de vacinação?

Será que o Lider é, a Directora Geral de Saúde que, primeiro disse que o prazo de 19 de dezembro não iria ser cumprido, para depois dizer que "vamos acelerar", ou quando no dia 18 de Novembro de 2021 "questionada se Portugal vai atingir a meta de 1,5 milhões de pessoas vacinas até dezembro, Graça Freitas respondeu que "é mais do que uma meta, é um desígnio nacional". Dizendo ainda que

"Não depende da Direção-Geral da Saúde, nem do Serviço Nacional da Saúde, nem do núcleo que apoio, nem do Infarmed". (https://www.saudemais.tv/noticia/35784-covid-19-dgs-apela-aos-portugueses-para-que-mantenham-confianca-na-vacina)

Então de quem depende? respondeu que "depende da adesão à vacinação das pessoas residentes em Portugal."

Ora, se os residentes em Portugal já deram prova da sua forte adesão quanto à vacinação, estamos em primeiro lugar em todo o mundo, de quem é então agora a responsabilidade pelos atrasos?

Será que o Líder é, a Ministra da Saúde que "admitiu que "todos os cenários" estão abertos em relação à quinta vaga da pandemia e deixou apelos aos maiores de 65 para que tomem a terceira dose e a vacina contra a gripe. Marta Temido advertiu para possibilidade de haver "momentos de constrangimento no acesso" à vacinação nos próximos dias, grantindo que irão procurar melhorar as condições de espera." SIC Noticias 12-11-2021.

Será que o Lider é, o Primeiro-Ministro que disse "Não podemos ignorar os sinais. Quanto mais tarde actuarmos, maiores serão os riscos" (Público 16 de Novembro 2021).

E, terá sido por isso que, o Primeiro-Ministro decidiu convocar a reunião do Infarmed para o dia 19 de Novembro de 2021. A última teve lugar em 16 de Setembro de 2021 já lá vão 2 meses.

E, porque será que no dia 1 de Outubro o governo anunciou o dia da libertação?

Um mês e meio depois será que a libertação chegou ao fim?

Em que ficamos?

Afinal quem é o líder?

A Directora da DGS, a Ministra da Saúde, o Primeiro Ministro, o Governo, o Infarmed os especialistas os comentadores?

Fica a dúvida se a Pandemia no geral e, a vacinação em particular é liderada por todos os atrás identificados que a exercem essa responsabilidade em conjunto, em complementaridade, em alternativa, ou a pedido.

Como em equipa vencedora não se mexe, impõe-se o urgente regresso do LIDER com provas dadas o, Vice-Almirante Gouveia e Melo.

A reforçar tudo que foi dito, acresce o facto de, todos os outros lideres, terem agora que liderar todos os assuntos relacionados com a dissolução da assembleia da república.

Permita-me parafraseando a Professora Raquel Marques , todas as medidas já estão estudadas e previstas há muito tempo . Importa como sempre, passar da teoria à pratica.

Assim partilho com os leitores alguns slides, por mim divulgados o ano passado.

O primeiro relativo às medidas a adoptar quanto à festa do Natal que devem também ser aplicadas a todas as festas que estão agora a ser agendadas pelas empresas e diferentes organizações

O segundo, terceiro e quarto, relativos ao uso das máscaras, uma vez que parece que finalmente se começa a aceitar que é um meio eficaz no combate à pandemia quando devidamente usado.

Normas para uso da máscara

Finalmente, da reunião do Infarmed, que teve lugar dia 19 de novembro de 2021 às 15h00 foram feitas sete apresentações por vários especialistas dondo é importante realçar a intervenção da Professora Raquel Duarte.

Aquando da apresentação do slide com o título " Proposta de medidas , a par de um processo de reforço com a 3ª dose de vacinas " disse que: "Reparem que aquilo que vos trazemos aqui é exactamente a mesma proposta que vos trouxemos em setembro deste ano. Em setembro o que vos propúnhamos era que... perante um agravamento dos indicadores monitorizados, houvesse um agravamento dessas medidas e, a proposta que fizemos em setembro mantem-se a nosso ver actual"

Assim parece poder-se concluir, que desde 16 de setembro deste ano, as medidas a adoptar já tinham sido propostas e comunicadas.

O que está em falta é somente liderança na sua implantação.

Para terminar, caro leitor não se esqueça que a experiência e as melhores práticas internacionais recomendam que :

1. Use sempre uma máscara FFP2

2. Higienize as mãos antes de colocar a máscara.

3. Quando retirar a máscara guarde-a dentro da embalagem plástica com que é fornecida.

4. Faça teste Covid sempre que por qualquer razão estiver em contacto com outras pessoas, sem estar protegido por máscara e, possa haver suspeita de eventual relaxamento quanto ao cumprimento de regras de segurança e prevenção contra a pandemia.

5. A regra é, na dúvida não facilite TESTE.

6. E muitíssimo importante VACINE-SE! e ajude os outros a vacinarem-se.

Quando o que está em causa é a saúde e o bem estar de todos .

Temos a obrigação de contribuir, de todas as formas, para que TODOS possam ter um Natal com afectos e em SEGURANÇA.

Afinal é tudo uma questão de Liderança!

Mais Notícias

Outras Notícias GMG