Twitter contrata pirata informático famoso para chefe de segurança

Peiter Zatko, conhecido como Mudge, trabalhou anteriormente para a empresa de pagamentos na Internet Stripe, para a Google e para o Departamento de Defesa dos Estados Unidos

O Twitter contratou o famoso hacker Peiter Zatko, conhecido como Mudge, para ser o chefe de segurança da empresa, confirmou o próprio, na segunda-feira, na sua conta naquela rede social.

"Parece que já é público. Estou entusiasmado por me juntar à equipa executiva do Twitter!", escreveu o popular pirata informático. "Farei o meu melhor", acrescentou.

Este não é o primeiro trabalho de Mudge para uma grande empresa de tecnologia. O hacker trabalhou anteriormente para a empresa de pagamentos na Internet Stripe, para a Google e para o Departamento de Defesa dos Estados Unidos, na Agência de Pesquisa e Projetos Avançados de Defesa (DARPA).

Em julho deste ano, foram "pirateadas" dezenas de contas no Twitter, incluindo as de várias celebridades, e foram descarregados dados pessoais de pelo menos oito utilizadores, num esquema para recolher pagamentos com a moeda virtual bitcoin.

O ataque afetou, entre outros, as contas da rede social do Presidente eleito dos EUA e então candidato democrata, Joe Biden, do ex-Presidente Barack Obama, dos bilionários Bill Gates, Elon Musk e Jeff Bezos, do artista Kanye West e das empresas Uber e Apple.

No total, os hackers tentaram entrar em 130 contas no Twitter e conseguiram alterar as palavras-passe de 45, permitindo-lhes fazer publicações fazendo-se passar por essas celebridades.

Muitas destas mensagens prometiam duplicar o dinheiro que os utilizadores investiam numa bolsa virtual de moedas criptográficas, um esquema em que pelo menos 510 pessoas foram apanhadas, depois de terem depositado um total de 120 mil dólares (101 mil euros).

O Twitter pormenorizou que, segundo as suas pesquisas, os ´hackers` lançaram um "esquema de engenharia social", "manipulando com sucesso um pequeno número de empregados e utilizando as suas credenciais para aceder aos sistemas internos da rede social", incluindo os seus sistemas de segurança "de dois fatores".

.

Mais Notícias