Trump envia mais agentes federais para controlar violência

Donald Trump anunciou que vai enviar mais agentes federais para Chicago, no Illinois, depois do ressurgimento dos conflitos naquela que é a terceira maior cidade do país. Medida vai aplicar-se também a Kansas City e Albuquerque, e surge depois de o presidente dos EUA ter enviado agentes para Portland e ameaçado enviar mais forças para Nova Iorque, Filadélfia, Detroit e Baltimore - todas elas lideradas por democratas

Em conferência de imprensa na Casa Branca, em Washington, o chefe de Estado norte-americano disse, citado pela agência France-Presse (AFP), que vai haver um "aumento acentuado na aplicação da lei federal nas populações afetadas por crimes violentos".

Por isso, o Departamento de Justiça dos EUA vai aumentar "imediatamente o número de agentes federais na cidade de Chicago", prosseguiu o republicano.

Trump estava ladeado pelo Procurador-Geral dos Estados Unidos, Bill Barr, que esclareceu que esta operação vai envolver Chicago, Kansas City (Missouri) e Albuquerque (Novo México).

Cerca de 200 agentes adicionais vão ser destacados para Chicago, 30 para Albuquerque. Outros 200 já chegaram a Kansas City, prosseguiu o governante.

O Presidente dos Estados Unidos pretende "restaurar a ordem", na sequência das manifestações antirracistas que espoletaram em todo o país depois da morte do cidadão afro-americano George Floyd.

Na segunda-feira, o inquilino da Casa Branca ameaçou enviar mais forças federais de ordem pública para cidades como Nova Iorque, Chicago, Filadélfia e Baltimore, entre outras, para conter a violência que considerou "pior" que no Afeganistão.

"Não vamos deixar que Nova Iorque, Chicago, Filadélfia, Detroit e Baltimore, e sobretudo Oakland, sejam um desastre. Não vamos deixar que isso suceda no nosso país", afirmou Trump no encontro com os jornalistas na Casa Branca, onde recebeu os líderes republicanos do Congresso.

Trump defendeu o envio de tropas federais para Portland, cenário de protestos contra o racismo, e que levou o Estado de Oregon (costa oeste) a processar no fim de semana várias agências governamentais por "violação dos direitos civis" dos manifestantes nessa cidade.

Trump assegurou que "Portland estava totalmente fora de controlo" e assinalou que as forças federais "fizeram um trabalho fantástico" em três dias, "em muito pouco tempo".

Nos últimos dias, agentes federais do Departamento de Segurança Nacional (DHS) e de outras agências foram enviados a Portland com o argumento de que eram necessários para conter os protestos por racismo que se prolongam há mais de 50 dias, mas as autoridades locais denunciaram que estão a agravar a situação.

A situação nesta cidade começou a ser divulgada pelos 'media' nacionais após os vídeos que circularam nas redes sociais e em que agentes federais com uniformes de combate detinham pessoas que protestavam nas ruas, em alguns casos sem se identificarem e usando veículos sem registo oficial.

Na terça-feira, pelo menos 15 pessoas ficaram feridas na sequência de um tiroteio que ocorreu durante um funeral, em Chicago.

Contudo, os autarcas de Portland (Oregon), Seattle (Washington), Chicago, Atlanta (Geórgia), Kansas City e Washington, todos eles democratas, já enviaram uma carta ao Procurador-Geral dos EUA, na qual se opõem à "implantação unilateral" de federais nas cidades que governam. Trump acusou os democratas de serem "brandos" na reação ao crime.

Mais Notícias