Tem 99 anos, mas curou a covid-19 em apenas sete dias

Quando a avó Nina começou e perder as forças até para segurar uma colher, os netos prepararam-se para o pior. Mas em apenas uma semana a idosa recuperou. Nem sequer chegou a saber que tinha estado infetada.

Em Espanha, chamam-lhe o "milagre" da avó Nina. Florentina Martín tem 99 anos, ficou infetada com o novo coronavírus durante um passeio em Madrid, mas recuperou da doença no espaço de uma semana. Apesar de nem sequer saber o que é a covid-19 e de não estar ciente de que o mundo vive uma pandemia.

É a neta Noelia, de 46 anos, quem conta a história ao El País. Apesar de não ver a avó Nina há três semanas, todos os dias falam ao telefone, sempre às nove da noite. Foi Noelia quem recebeu um telefonema de Olga, a cuidadora que vive com a idosa há sete anos no município madrileno de Pinto, a dar conta de que Nina estava sem forças, até para segurar uma colher,

Tinha ainda dores no corpo há dois dias e mal se aguentava em pé. A família preparou-se para o pior: a covid-19 é principalmente mortal nos idosos, mas Nina não tinha febre. Foi só após a realização de um teste à infeção que foi confirmada a doença.

O tratamento, mesmo antes do resultado do teste, começou de imediato: três comprimidos de paracetamol triturados por dia. Os netos julgaram que teriam de fazer as suas despedidas à distância. Mas Nina recuperou.

A quase centenária avó teve uma infância difícil, em adulta perdeu um filho, mas os netos trouxeram-lhe alegria. Não gostava de cozinhar e mesmo hoje não gosta muito de comer. Mas adora fazer croché e tricot.

Nina é, sempre foi, uma sobrevivente. Na primavera de 1981, quase perdeu a vida. A mulher foi uma das 25 000 pessoas afetadas em Espanha pela fraude com o óleo tóxico de colza. Com a indemnização que o Estado lhe deu, comprou uma casa na praia para o filho e para os netos. Dez anos depois, em 1991, o marido morreu de cancro. Em 2002, o seu outro filho também morreu.

Agora, a única alegria da avó Nina são os três netos e bisnetos, principalmente Pedrito, de 4 anos.

Mais Notícias