Suíços vão decidir se querem fim da livre circulação com a UE

A proposta, intitulada "Iniciativa para uma Imigração Moderada", à qual o Governo suíço manifestou oposição, deveria ter sido votada num plebiscito em maio passado, mas o referendo teve de ser adiado devido à pandemia.

Os suíços decidem a 27 de setembro se querem pôr fim à livre circulação de pessoas entre a Suíça e a União Europeia, num referendo promovido por uma iniciativa popular apoiada por setores conservadores, anunciou hoje o Governo suíço.

A proposta, intitulada "Iniciativa para uma Imigração Moderada", à qual o Governo suíço manifestou oposição, deveria ter sido votada num plebiscito em maio passado, mas o referendo teve de ser adiado devido à pandemia do novo coronavírus, que limitou até a semana passada a circulação entre a Suíça e a UE para o combate à covid-19.

O Governo suíço, através da seu conselheira federal e ministra da Justiça e Interior, Karin Keller-Sutter, enfatizou esta segunda-feira que esta iniciativa "ameaça a prosperidade" do país, distanciando-o da União Europeia no momento em que precisa de aumentar as suas relações comerciais para enfrentar a crise causada pela pandemia.

o Governo da Suíça deseja "limitar a imigração às necessidades mais estritas"

A conselheira observou, no entanto, que o Governo da Suíça deseja "limitar a imigração às necessidades mais estritas", incentivando e apoiando o potencial da força de trabalho que já está na Suíça.

A iniciativa, que começou a tomar forma em 2018 com a recolha de assinaturas para solicitar a realização de um referendo, conta com o apoio do partido conservador da União Democrática do Centro (UDC), a formação com mais assentos no Parlamento suíço, embora sem posição maioritária.

Mais Notícias