Restos humanos de 59 pessoas encontrados em valas comuns ilegais

Esta descoberta em Salvatierra junta-se à de finais de setembro no município de Irapuato, onde foram encontrados 17 sacos de plástico contendo restos humanos

As autoridades mexicanas relataram na quarta-feira a descoberta dos restos mortais humanos de 59 pessoas enterradas em várias valas comuns clandestinas em Salvatierra, uma cidade no estado central mexicano de Guanajuato.

Esta descoberta em Salvatierra junta-se à de finais de setembro no município de Irapuato, onde foram encontrados 17 sacos de plástico contendo restos humanos, embora ainda não se saiba quantas pessoas estavam envolvidas.

Há poucas semanas as autoridades receberam informações sobre a possibilidade de haver corpos enterrados em sepulturas numa propriedade conhecida como Barrio de San Juan, em Salvatierra.

A busca começou em 20 de outubro e até à data foram encontrados 59 corpos, dos quais 10 a 15 seriam mulheres.

"Esta é definitivamente a maior (descoberta) que foi feita desde a criação da Comissão Nacional de Procura de Pessoas e podererá ser a do estado de Guanajuato", disse o chefe da Comissão de Busca do estado, Hector Diaz Esquerra.

Os corpos encontrados são na sua maioria homens jovens, indicaram, confirmando que os restos mortais humanos serão guardados pela Procuradoria-Geral do Estado de Guanajuato a fim de os identificar.

O estado de Guanajuato, que tem uma população de cerca de seis milhões de habitantes, é considerado o mais violento do país desde 2018, devido à guerra travada pelos cartéis Jalisco Nueva Generación e Santa Rosa de Lima.

As disputas deixaram 3.438 vítimas de homicídio intencional nos primeiros nove meses do ano, com 2.483 desaparecidos e não contabilizados, de acordo com a Comissão Nacional de Busca.

Mais Notícias