Prefeito do Rio faz busca a "livros impróprios" em bienal

Marcelo Crivella, sobrinho de Edir Macedo, já mandara organizadores do evento recolherem banda desenhada da Marvel em que dois homens se beijavam. Na sequência mandou funcionários vistoriarem o local. Editoras repudiam ato e falam em censura.

Dez funcionários da Secretaria Municipal de Ordem Pública do Rio de Janeiro invadiram hoje a Bienal do livro, realizada num centro comercial da cidade, com o objetivo de identificar e lacrar livros considerados impróprios pela prefeitura liderada por Marcelo Crivella, bispo da IURD e sobrinho do fundador da igreja Edir Macedo.

"É uma vistoria em busca de material pornográfico", disse Wolney Dias, coordenador da operação, citado pelo jornal O Globo.

"A prefeitura tem poder de polícia para isso, se o material não estiver seguindo as recomendações será recolhido (...) não entendo que haja censura, se for material pornográfico oferecido sem as normas será recolhido", acrescentou.

Na véspera, Crivella determinara que os organizadores da Bienal recolhessem os livros com conteúdos impróprios para menores, referindo-se a Vingadores: A Cruzada das Crianças, banda desenhada de super-heróis da Marvel em que dois homens se beijam, e já hoje ameaçou cancelar a Bienal caso a obra, entretanto esgotada, não fosse lacrada.

As principais editoras do evento repudiaram a ação e falaram em "censura". "A fiscalização de livros remete a uma era sombria da nossa história", lê-se em comentário da editora Todavia.

Mais Notícias